Novo Coronavírus

Minas Gerais MG vai ter quase 10 mil testados para covid-19 em estudo nacional

MG vai ter quase 10 mil testados para covid-19 em estudo nacional

Ao todo, 13 cidades mineiras foram selecionadas para o projeto que tenta estimar o real número de infectados pelo coronavírus no Brasil

Pesquisadores vão sortear casas para a pesquisa

Pesquisadores vão sortear casas para a pesquisa

Divulgação / Ufpel / Daniela Xu

Acontece entre esta quinta-feira (14) e sexta-feira (15) a primeira fase do estudo nacional que vai à casa de aproximadamente 99 mil brasileiros para estimar qual seria o verdadeiro número de pessoas que já foram contaminadas com coronavírus no país. Em Minas Gerais, serão quase 10 mil testados, em 13 cidades.

A pesquisa batizada de Epicovid19 vai ampliar para todo Brasil um projeto da Ufpel (Universidade Federal de Pelotas), no Rio Grande do Sul. A iniciativa indicou que o número de pessoas que tiveram covid-19 nas cidades gaúchas pode ser até 16 vezes maior que o apontado nos balanços oficiais.

Aluísio Barros, professor da pós-graduação em epidemiologia da Ufpel e coordenador da pesquisa, destaca que, além de mensurar uma possível subnotificação de casos, o levantamento vai fazer um raio-x do comportamento da doença em cada região do Brasil.

— Temos a tendência de simplificar as coisas e observar o país com o mesmo olhar, mas temos múltiplas pandemias acontecendo em cada local. A título de comparação, São Paulo tem uma dinâmica diferente de Campinas. Então, temos que olhar para regiões menores.

Para isto, os pesquisadores consideraram as grandes divisões que o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) faz dentro de cada Estado e selecionaram a maior cidade destas áreas para receber a ação. Ao todo, serão 133 municípios nos 27 Estados e no Distrito Federal.

Metodologia

O estudo vai acontecer da seguinte forma: os pesquisadores vão sortear no mapa uma rua da cidade e, consequentemente, uma casa. Entrevistadores do Ibope vão até o local e, lá, irão sortear quem será o morador que vai fazer o exame para coronavírus. O grupo vai usar testes rápidos, feitos com base em uma gota de sangue retirada do dedo.

O projeto vai ser dividido em três fases, com prazo de 15 dias entre uma e outra. Em cada uma delas, serão testadas 250 pessoas por cidade, totalizando quase 100 mil participantes em todas as etapas –aproximadamente 33 vezes mais pessoas que o registrado nas pesquisas eleitorais para presidente.

O professor Aluísio Barros explica que o espaçamento entre as datas vai permitir monitorar o ritmo de proliferação do vírus em cada região.

— Essa metodologia é interessante porque teremos sorteios aleatórios. Quando se testa apenas as pessoas que se candidatam, o percentual de infectados tende não refletir bem a realidade porque geralmente só busca o serviço quem apresenta algum tipo de sintoma e sabemos que existem muitos assintomáticos.

Defasagem

A metodologia também vai ajudar a suprir a defasagem de testes de algumas regiões que estão examinando apenas casos graves e de pessoas que venham a morrer, como é o caso de Minas Gerais. A média de testagem no Estado atualmente é de um exame a cada sete casos suspeitos.

O Ministério da Saúde, que está financiando a pesquisa a um custo de R$ 12 milhões, ainda não tem um balanço oficial sobre o número de testados no Brasil. Segundo o órgão, os dados mais recentes apontam a realização de aproximadamente 400 mil testes rápidos, mas o relatório não considera os exames mais aprofundados que demoram até cinco dias para ficarem prontos.

Leia mais: Remédio eficaz contra covid-19 desafia pesquisadores

Os resultados da primeira fase do estudo devem ser divulgados até o final da próxima semana, trazendo um impacto ao poder público, conforme explica Barros.

— Há uma pressão muito grande para voltarmos à vida normal. Com estes dados, vamos ter um panorama da realidade de cada região para que os governos locais possam gerenciar a capacidade de atendimento hospitalar e dizer se pode ou não reabrir o comércio.

O número casos confirmados de covid-19 no Brasil chegou a 188 mil e o de mortos a 13.149. Em Minas, os dados oficiais dão conta de 3.950 contaminados e 139 óbitos.

Veja a lista de cidades que farão parte da pesquisa:

• SUDESTE (33)

Minas Gerais (13): Belo Horizonte, Montes Claros, Teófilo Otoni, Governador Valadares, Ipatinga, Juiz de Fora, Barbacena, Varginha, Pouso Alegre, Uberaba, Uberlândia, Patos de Minas, Divinópolis

Rio de Janeiro (5): Rio de Janeiro, Volta Redonda-Barra Mansa, Petrópolis, Campos dos Goytacazes, Macaé-Rio das Ostras-Cabo Frio

Espírito Santo (4): Vitória, São Mateus, Colatina, Cachoeiro do Itapemirim

São Paulo (11): São Paulo, Sorocaba, Bauru, Marilia, Presidente Prudente, Araçatuba, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto, Araraquara, Campinas, São José dos Campos

• REGIÃO NORTE (22)

Acre (2): Rio Branco, Cruzeiro do Sul

Amapá (2): Macapá, Oiapoque-Porto Grande

Amazonas (4): Manaus, Tefé, Lábrea, Parintins

Pará (7): Belém, Castanhal, Marabá, Redenção, Santarém, Altamira, Breves

Rondônia (2): Porto Velho, Ji-Paraná

Roraima (2): Boa Vista, Rorainópolis-Caracaraí

Tocantins (3): Palmas, Araguaína, Gurupi

• REGIÃO NORDESTE (42)

Alagoas (2): Maceió, Arapiraca

Bahia (10): Salvador, Santo Antônio de Jesus, Ilhéus-Itabuna, Vitória da Conquista, Guanambi, Barreiras, Irecê, Juazeiro, Paulo Afonso, Feira de Santana

Ceará (6): Fortaleza, Quixadá, Iguatu, Juazeiro do Norte, Crateús, Sobral

Maranhão (5): São Luís, Santa Inez-Bacabal, Caxias, Presidente Dutra, Imperatriz

Paraíba (4): João Pessoa, Campina Grande, Patos, Sousa-Cajazeiras

Pernambuco (4): Recife, Caruaru, Santa Talhada, Petrolina

Piauí (6): Teresina, Parnaíba, Picos, São Raimundo Nonato, Corrente-Bom Jesus, Floriano

Rio Grande do Norte (3): Natal, Caicó, Mossoró

Sergipe (2): Aracaju, Itabaiana

• REGIÃO CENTRO-OESTE (14)

Goiás (6): Goiânia, Itumbiara, Rio Verde, São Luís de Montes Belos-Iporá, Porangatu-Iruaçu, Luziânia-Águas Lindas de Goiás

Mato Grosso (5): Cuiabá, Cáceres, Sinop, Barra do Garças, Rondonópolis

Mato Grosso do Sul (3): Campo Grande, Dourados, Corumbá

• SUL (21)

Paraná (6): Curitiba, Guarapuava, Cascavel, Maringá, Londrina, Ponta Grossa

Santa Catarina (7): Florianópolis, Criciúma, Lages, Chapecó, Caçador, Joinville, Blumenau

Rio Grande do Sul (8): Porto Alegre, Pelotas, Santa Maria, Uruguaiana, Ijuí, Passo Fundo, Caxias do Sul, Santa Cruz do Sul-Lajeado

• Distrito Federal (1)

Últimas