Minas divulga em média 75 diagnósticos de covid-19 por dia

Estado tem capacidade de realizar 1.800 análises para o vírus diariamente; diferença se deve ao fato de nem todos os casos suspeitos serem testados

Governo pretende aumentar número de testados

Governo pretende aumentar número de testados

Pixabay/Reprodução

Mesmo tendo ampliado para 1.800 testes diários a capacidade de diagnósticos de covid-19 no Estado, Minas Gerais está divulgando, em média, 75 resultados de exames por dia. O número representa 3% da capacidade total de análise.

Os boletins epidemiológicos da SES (Secretaria de Estado de Saúde) revelam que, desde o dia 14 de abril (quando foi anunciado o aumento da capacidade), só foram divulgados 984 resultados. No período, a pasta relatou 701 casos confirmados e 283 descartados.

Segundo o virologista da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), Flávio Fonseca, uma hipótese que pode justificar essa diferença nos números é a qualidade das amostras.

— Muitas vezes o que acontece é que a amostra não foi colhida de forma adequada e ela não passa no teste de qualidade e precisa ser recoletada.

Ainda de acordo com o pesquisador, a falta de exames pode provocar a subnotificação dos casos.

— Não é mistério a nossa dificuldade, não só a do Brasil, mas de todo mundo em notificar os casos. A subnotificação pode ser da ordem de 10 até 100. Ou seja, um número de casos de 9 mil pode variar entre 90 mil e até 900 mil. Então, existe um problema grave de notificação que se reflete também no número de óbitos aferidos.

Leia mais: Casos de Covid podem ser até 7 vezes maiores

Em coletiva, o secretário de Saúde de Minas, Carlos Eduardo Amaral, explicou que "a capacidade operacional hoje está superior à demanda". Procurada pela reportagem, a Ses informou que isso se deve à restrição que está sendo feita em relação às pessoas que devem fazer o exame.

Atualmente, o Estado testa os profissionais de saúde com sintomas, os óbitos suspeitos, e as pessoas internadas com Síndrome Respiratória Aguda Grave.

Ainda segundo a Ses, agora “o objetivo é ampliar tais critérios, de modo a aumentar a demanda e utilizar toda a capacidade instalada da rede laboratorial do Estado”.

Nesta semana, o R7 mostrou que Minas tem um dos piores índices de testes do Brasil, sendo 476 por milhão. O Distrito Federal e o Amazonas, por exemplo, fazem mais de 1.500 testes por milhão de habitantes.                   

Veja a íntegra da nota da Ses:

“Em relação ao questionamento sobre o aumento da capacidade da Funed e da rede de laboratórios versus o número de exames realizados por dia, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) esclarece que o número de amostras enviadas à Funed é atualmente menor do que a capacidade máxima da rede.

Isso se deve ao fato de estarmos trabalhando atualmente com critérios indicativos de coleta de amostras mais restritivos. Com a ampliação e preparação da rede de laboratórios, o objetivo é ampliar tais critérios, de modo a aumentar a demanda e utilizar toda a capacidade instalada da rede laboratorial do Estado.

Com relação aos dados referentes ao fechamento de casos, a análise é realizada pelo CIEVS e direcionada para divulgação pela equipe do boletim epidemiológico do COES-COVID.”

Veja mais: