Novo Coronavírus

Minas Gerais Minas está longe da imunidade de rebanho, avalia secretário

Minas está longe da imunidade de rebanho, avalia secretário

Fenômeno acontece quando uma doença acomete boa parte da população de uma região e, com isto, o número de novos casos começa a reduzir

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Secretário pede adesão ao isolamento social

Secretário pede adesão ao isolamento social

Divulgação / Governo de Minas / Pedro Gontijo

O secretário de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, avaliou que o Estado está longe de chegar à chamada imunização de rebanho, ou seja, ao momento em que o ritmo de proliferação da covid-19 começará a cair consideravelmente devido ao alto número de infectados na região.

Os pesquisadores ainda divergem em relação ao percentual de infectados necessário para atingir o fenômeno. Alguns estudos internacionais sugerem uma contaminação entre 60% e 70% da população. Outros já apresentam níveis menores, como um estudo da Universidade de Estocolmo, que defendeu a taxa de 43%.

Leia também: Entenda por que o Brasil está longe de atingir imunidade

De qualquer forma, o número de infectados em Minas Gerais está bem abaixo. Segundo dados do Governo Estadual, aproximadamente 0,4% da população foi contaminada pelo novo coronavírus.

— Somente quando tivermos um número significativo de pessoas que tiveram a doença é que a transmissão entre as pessoas começará a reduzir significativamente.

Ao mesmo tempo, Amaral avaliou como positivo o fato de o Estado não ter registrado um crescimento rápido no número de casos de covid-19, o que poderia ter provocado um colapso nos hospitais. Segundo o secretário, as ações de isolamento social contribuíram para frear os novos registros e deu tempo ao governo para ampliar a capacidade de atendimento no sistema de saúde.

— Neste contexto, para mim, é muito importante nós não termos tido um pico grande até o momento que levasse a uma desassistência severa no Estado, como vimos em outras regiões. Mas realmente precisamos acompanhar com o mesmo zelo e cuidado esse desenrolar até que tenhamos uma noção clara de que começamos a ter uma redução no número de casos.

Segundo dados da SES (Secretaria de Estado de Saúde), Minas Gerais tinha até a manhã desta segunda-feira (20) 2.004 mortes causadas pelo novo coronavírus e 94.132 infectados.

Pico

O Governo de Minas estimava registrar na última semana o pico da pandemia no Estado, ou seja, a fase com o maior número de novas contaminações que seria seguida por uma redução de casos. No entanto, a SES avalia que o índice de casos diários cresceu e se manteve no patamar mais elevado, caracterizando o chamado platô.

— Há uma semana estamos vendo uma flutuação na ocupação de leitos que não mostra mais uma tendência grande ao aumento da ocupação. Quando analisamos a data dos óbitos, também estamos avaliando uma tendência de estabilização. Isso significa que há uma tendência de não termos aquele pico em que as pessoas não conseguiriam ser atendidas [nos hospitais].

Últimas