Sarampo
Minas Gerais Minas Gerais investiga 16 casos suspeitos de sarampo 

Minas Gerais investiga 16 casos suspeitos de sarampo 

Desde o início do ano, 20 casos foram descartados e um confirmado; último caso de contaminação autóctone completa 20 anos em 2019

Casos de sarampo retornaram em 2018

Casos de sarampo retornaram em 2018

SES-MG/Divulgação

A secretaria de Saúde de Minas Gerais investiga 16 casos suspeitos de sarampo no Estado. Um caso já foi confirmado e 20 foram descartados desde o início deste ano. De acordo com a pasta, as regiões de saúde que mais registraram suspeitas são a de Divinópolis, Unaí, Belo Horizonte e Coronel Fabriciano. 

O caso confirmado é de um italiano, morador de Betim, com histórico de viagem recente à Croácia e à Itália entre o final do ano passado e começo deste ano. Segundo a secretaria, as ações de bloqueio vacinal e pesquisa diagnóstica foram feitas pelas equipes de vigilância locais e os resultados laboratoriais foram confirmados na ocasião. 

Antes de 2019, os últimos casos casos registrados em Minas foram em 2013, com dois registros importados dos Estados Unidos. Antes disso, o Estado registrou um caso em 2011 (importado da França). Os últimos casos autóctones, ou seja, cuja contaminação se deu no próprio território foram em 1999, ou seja, 20 anos atrás. 

Leia mais: Suspeita de sarampo faz posto de saúde parar atendimento em BH

Histórico

O Brasil vive, desde o ano passado uma reintrodução do vírus do sarampo em seu território. Em 2018 foram registrados mais de 10 mil casos em todo o país, com maior incidência no Amazonas, que registrou mais de 90% dessas ocorrências.

Por conta desses casos, o Brasil corre o risco de perder o certificado de erradicação do sarampo, concedido pela OPAS (Organização Pan Americana de Saúde) em 2016.