Minas Gerais passa a considerar hotéis como serviço essencial

Hotelaria foi incluída na onda verde do programa Minas Consciente; decisão foi tomada após avaliação do impacto econômico do setor

Minas Consciente determina ondas de reabertura em MG

Minas Consciente determina ondas de reabertura em MG

Divulgação/Governo de Minas

O Governo de Minas anunciou, nesta quinta-feira (28), que os hotéis passam a ser considerados serviços essenciais e, assim, pode retomar o funcionamento em todo o Estado. 

De acordo com o secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio, dados da SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde) permitiram que o setor de hotelaria fosse incluido na onda verde do programa Minas Consciente, que serve como parâmetro para o processo de reabertura dos municípios. 

— Foi feito um estudo e uma nova rodagem dos dados e os hoteis, por sua importância para a prestação de certos serviços, foi julgado como essencial. Indicadores da SES-MG mostram que o coronavírus permitiu esse gradual e responsável avanço. É muito importante frisar que esse crescimento, por mais que possa parecer lento, é extremamente necessário.

Leia mais: MG refaz contas e diz que pico da covid só deve acontecer em julho

Medidas

O protocolo de reabertura já está disponível na plataforma do programa do Governo de Minas para reabertura do comércio. Entre as recomendações, o serviço deve classificar o perfil dos hóspedes pelo grau de risco ou envolvimento com a covid-19, orientar os colaboradores quanto ao ambiente de trabalho e aderir medidas de proteção específicas. 

O secretário adjunto reforçou, ainda, que o isolamento social deve ser mantido.

— É importante frisar que o Minas Consciente não é uma flexibilização e, sim, uma convivencia harmonica com o isolamento.

Plano de reabertura

Nesta semana, o programa Minas Consciente, criado pelo governo para orientar os prefeitos do Estado no processo de reabertura gradual do comércio, completa um mês. Os tipos de estabelecimento estão dividos em quatro categorias: onda branca (atividades essenciais), onda vender (baixo risco), onda amarela (médio risco) e onda vermelha (alto risco).

Até o momento, 87 dos 853 municípios aderiram. Na quarta-feira (27), o Comitê Extraordinário Covid-19 deliberou o avanço das macrorregiões Centro e Leste do Sul para a onda amarela. Nesta segunda fase, as 154 cidades abrangidas, se optarem por aderir o programa do Governo de Minas, tem autorização para reabrir lojas de departamento, papelaria e vestuário. 

Outra mudança foi o avanço da macrorregião Sul da onda verde(que permite o funcionamento somente de serviços essenciais), para a onda branca. Agora, 323 municípios das macrorregiões Noroeste, Norte, Sul e Centro-Sul seguem na primeira fase da reabertura do plano, que permite a abertura de estebelecimentos de baixo risco.  

*Estagiária do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli