Minas Gerais Minas Gerais reduz intervalo entre doses da Pfizer para 21 dias

Minas Gerais reduz intervalo entre doses da Pfizer para 21 dias

Novo protocolo também prevê aplicação da terceira dose em pessoas acima de 18 anos cinco meses após a vacina de reforço

  • Minas Gerais | Giovana Maldini*, do R7

Intervalo foi reduzido de oito semanas para 21 dias

Intervalo foi reduzido de oito semanas para 21 dias

Divulgação/Adão de Souza/PBH

A SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais) anunciou que vai reduzir o intervalo entre a primeira e a segunda dose da vacina da Pfizer para 21 dias. Até o momento, o prazo mínimo para tomar o reforço do imunizante contra a Covid-19 era de oito semanas.

Segundo o Governo de Minas, a medida deve entrar em vigor neste sábado (20), quando será publicada a deliberação aprovada pela CIB (Comissão Intergestores Bipartite), instância que reúne representantes do estado e dos municípios.

“O objetivo da redução do intervalo entre a primeira e a segunda dose é acelerar a vacinação dos mineiros, aumentando a quantidade de pessoas com esquema vacinal completo. Dessa forma, conseguimos reduzir os índices de transmissão da doença e as internações, principalmente os casos graves”, explica Janaina Passos, subsecretária de Vigilância em Saúde da SES-MG.

Esse novo protocolo também prevê a aplicação da terceira dose nas pessoas acima de 18 anos, o que deve ser feito cinco meses após a última dose tomada. No caso de pessoas com imunossupressão, a dose adicional deve ser administrada após 28 dias.

Para a terceira dose, devem ser usados, preferencialmente, os imunizantes da Pfizer ou, de maneira alternativa, da Janssen ou da AstraZeneca, independentemente de qual tenha sido a vacina aplicada no esquema vacinal primário.

O Governo de Minas ainda ressalta que a ampliação da dose de reforço para a população acima de 18 anos depende do envio das vacinas pelo Governo Federal. A SES-MG espera receber do Ministério da Saúde o quantitativo de doses suficiente para alcançar, ainda no mês de dezembro, a imunidade coletiva, quando 70% da população total do estado terá concluído o esquema vacinal.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Pablo Nascimento

Últimas