Minas Gerais Mineira diz ter sido estuprada nos EUA e aguarda julgamento do caso

Mineira diz ter sido estuprada nos EUA e aguarda julgamento do caso

Adriana Rita afirma ter sido dopada e estuprada por dois homens após festa de Natal em 2018; um dos suspeitos é mineiro e teria fugido para o Brasil

  • Minas Gerais | Célio Ribeiro*, do R7, com Rodrigo Dias, da Record TV Minas

Uma mineira afirma ter sido estuprada por dois homens nos Estados Unidos em 2018. Um dos acusados, que também é mineiro, fugiu para o Brasil antes do julgamento, que deve acontecer em novembro.

A empresária Adriana Rita, de 48 anos, foi para os EUA em outubro de 2019. No exterior, ela fazia serviços de limpeza. No final de dezembro, ela recebeu um convite para participar de uma festa de Natal com outros brasileiros.

Segundo Adriana, os anfitriões pagaram um táxi para levar ela até o local e o combinado era que o mesmo acontecesse na volta. Ela acredita ter sido dopada durante a confraternização para que, no fim, ela aceitasse a carona de um desconhecido.

Adriana pode ter sido estuprada por brasileiros nos EUA

Adriana pode ter sido estuprada por brasileiros nos EUA

RecordTV Minas

— Um rapaz me ofereceu carona mas parou durante o caminho. Neste momento, eu senti uma mão atrás de mim. Ou seja, havia alguém escondido dentro do carro que eu não tinha percebido antes.

Adriana afirma ter sido carregada pelos dois homens para dentro de uma garagem, já que não conseguia andar. Ela acredita que os abusos aconteceram neste local.

— Eles me colocaram em uma cadeira e começaram a fazer coisas comigo. Eu desmaiei, por isso não lembro de muita coisa. Mas o que eu lembrei, eu contei para a polícia. Foi um estupro, já que não foi consentido.

Veja: Mulher é agredida e estuprada em mata na Cidade Administrativa

Nos Estados Unidos, Adriana procurou auxílio de um grupo de apoio à brasileiras e o caso está sendo analisado pela Corte Superior. Um dos suspeitos está impedido de deixar o país, mas o outro é considerado foragido desde que faltou a uma das audiências.

Suspeito teria fugido pelo Brasil passando pelo México

Suspeito teria fugido pelo Brasil passando pelo México

RecordTV Minas

Suspeitos

Cristiano Fernandes de Lira teria usado um nome falso para se identificar aos policiais nos Estados Unidos. Ele nasceu em São Geraldo de Baixo. a 398 km de Belo Horizonte, e teria voltado para o Brasil utilizando uma rota de fuga na fronteira com o México. O outro acusado, Marcos Domingos, teve o passaporte retido e está utilizando tornozeleira eletrônica.

Segundo o Brazilian Times, jornal destinado a comunidade brasileira nos Estados Unidos, a dupla pode estar envolvida em outros estupros. Adriana Rita acredita nessa hipótese e afirma que outras vítimas fizeram denúncias após o caso repercutir.

— Depois que eu fiz a denúncia, apareceram outras vítimas, então esses bandidos precisam ir para a cadeia. Eu quero que eles paguem pelo que fizeram e que sejam julgados lá fora. Ele só fugiu para o Brasil porque ele acredita na impunidade.

Outro lado

A reportagem tentou entrar em contato com Cristiano de Lira, mas as ligações não foram atendidas. Caso seja condenado e não se apresente à Justiça americana, o nome dele poderá figurar entre os procurados da Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal).

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli

Últimas