febre amarela
Minas Gerais Morte de jovem que se vacinou contra febre amarela é investigada

Morte de jovem que se vacinou contra febre amarela é investigada

Vítima estava na Bahia quando tomou o medicamento e começou a apresentar os sintomas

Morte de jovem que se vacinou contra febre amarela é investigada

Jovem estava na Bahia quando apresentou sintomas

Jovem estava na Bahia quando apresentou sintomas

Reprodução / Facebook

A Ses (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais) investiga a causa da morte de um jovem, de 22 anos, que morreu após receber a vacina contra febre amarela. Ele é natural de Montes Claros, no norte de Minas Gerais, mas estava na Bahia quando passou mal.

Victor Soares foi vacinado após viajar para o Estado vizinho. Em seguida, ele começou a sentir mal-estar e vômito. Com o agravamento do quadro, o rapaz foi internado em um hospital de Salvador, onde foi constatada a necessidade de um transplante de fígado, mas ele não resistiu e morreu no último sábado (17).

Leia mais notícias no Portal R7

A Secretaria de Saúde ainda investiga se a morte pode ter sido causada por reação à vacina. Os órgãos de saúde não souberam informar a data em que ele foi imunizado. Segundo amigos próximos, o rapaz fazia um tratamento de pele com uso de corticóides. Pessoas que fazem o uso de tais medicamentos devem consultar os médicos antes do tomar a injeção.

Segundo a Ses, “raramente eventos adversos graves (EAG) e até fatais têm sido notificados e estão associados à disseminação do vírus vacinal”. Ainda assim, a pasta ressalta que a vacina é uma das mais eficazes e seguras.

Veja quem não deve tomar a vacina

• Crianças menores de 9 meses de idade
• Pacientes com imunodepressão de qualquer natureza.
• Pacientes que vivem com HIV com imunossupressão grave, com a contagem de células CD4 <200 células/mm3 ou menor de 15% do total de linfócitos para crianças menores de 6 anos
• Pacientes em tratamento com drogas imunossupressoras (corticosteroides, quimioterapia, radioterapia, imunomoduladores)
• Pacientes submetidos a transplante de órgãos
• Pacientes com imunodeficiência primária
• Pacientes com neoplasia
• Indivíduos com história de reação anafilática relacionada a substâncias presentes na vacina (ovo de galinha e seus derivados, gelatina bovina ou outras)
• Pacientes com história pregressa de doenças do timo (miastenia gravis, timoma, casos de ausência de timo ou remoção cirúrgica)

Idosos, nutrizes ou lactantes amamentando crianças abaixo dos 6 meses de idade, pessoas que terminaram tratamento de quimioterapia e radioterapia, pessoas com doenças hematológicas (do sangue), pessoas que vivem com HIV, Grávidas, pessoas em uso de corticoide devem consultar um médico antes de se vacinar.

    Access log