Minas Gerais Motoboy preso injustamente usava roupa diferente do suspeito

Motoboy preso injustamente usava roupa diferente do suspeito

Na época da prisão, delegada alegou que identificação feita pela vítima foi determinante para chegar até o possível culpado

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Circuito mostra suspeito com camisa clara

Circuito mostra suspeito com camisa clara

Reprodução / PCMG

Um circuito de segurança divulgado pela Polícia Civil, nesta sexta-feira (6), mostra que o motoboy preso injustamente em Santana do Paraíso, a 237 km de Belo Horizonte, usava roupas diferentes das usadas pelo outro motociclista que pode ter sido o verdadeiro autor do assalto.

A gravação que levou à soltura de de Maxsuel Vieira Ribeiro, de 35 anos, mostra que o motoboy usava uma jaqueta em tons escuros. O outro homem que aparece nas imagens aparece com uma camisa de cor clara.

Após a detenção de Ribeiro, a delegada Amanda Pereira, plantonista responsável pelo auto de prisão, explicou à reportagem que a identificação feita pela vítima foi determinante para colocar o motoboy como suspeito. A delegada explicou que a vítima não titubeou diante os agentes da Polícia Civil ao reconhecê-lo.

No entanto, o boletim de ocorrência indica que a mulher assaltada já havia feito um reconhecimento inicial de Maxsuel Ribeiro enquanto o homem estava com os policiais militares que o prenderam.

A reportagem procurou a Polícia Civil para comentar sobre a divergência das roupas, mas não teve retorno até a publicação.

Reconstituição

Nesta sexta-feira, a Polícia Civil divulgou imagens da reconstituição do crime realizada nesta semana na cidade. O trabalho foi filmado e acompanhado por drones. As gravações mostram que Ribeiro passou pela secretária de 40 anos assaltada.

Em seguida, o outro motociclista que seria o suspeito passar por Ribeiro. Momentos depois o homem volta pelo mesmo caminho, segundo a polícia, após ter cometido o roubo.

As investigações sobre o caso seguem em andamento. O novo suspeito ainda não foi localizado. Ribeiro foi solto na última terça-feira (6) após a polícia concluir que ele não foi o responsável pelo crime. O motoboy, que é formado em administração de empresas e sem antecedentes criminais, ficou preso durante 19 dias.

Veja as imagens da reconstituição:

Últimas