Marília Mendonça

Minas Gerais Motores do avião de Marília Mendonça voltam a Minas Gerais

Motores do avião de Marília Mendonça voltam a Minas Gerais

Peças, que viajaram de Caratinga (MG) até Brasília (DF), chegaram a São José da Lapa, na Grande BH, para serem analisadas

  • Minas Gerais | Giovana Maldini*, do R7

Motores chegaram a São José da Lapa (MG)

Motores chegaram a São José da Lapa (MG)

Divulgação

Após viajar mais de 1.000 km de Caratinga (MG) até Brasília (DF), os motores do avião que caiu com a cantora Marília Mendonça e outras quatro pessoas voltaram para Minas Gerais.

Dessa vez, os equipamentos foram levados para a cidade de São José da Lapa, na região metropolitana de Belo Horizonte, para serem analisados.

O destino dos motores sofreu uma série de alterações. No fim de semana após o acidente, autoridades anunciaram que ele seria levado para Sorocaba, no interior de São Paulo. Em seguida, o destino foi alterado para Goiânia (GO), e, nesta quarta-feira (10), a FAB (Força Aérea Brasileira) anunciou que o trajeto teria mudado para a capital federal.

A IAS (Indústria de Aviação e Serviços), empresa de manutenção aeronáutica, confirmou que os motores chegaram a São José da Lapa por volta de 0h desta quinta-feira (11).

A reportagem entrou em contato com a FAB para esclarecimentos, mas não teve retorno. A IAS explica que os motores podem ter ido para São José da Lapa por ser o local onde fica o centro autorizado do fabricante.

Os equipamentos estão sendo periciados pelo Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) para identificar a dinâmica do acidente e prevenir que outros casos semelhantes ocorram. O fato foi registrado como colisão com o solo.

Em nota, a Polícia Civil de Minas Gerais informou que aconteceu uma reunião na cidade na sede da IAS com representantes do Sipaer (Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos).

Veja a nota na íntegra:

"A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) informa que, em reunião, nesta manhã (12/11), na sede da empresa IAS - Indústria de Aviação e Serviço, em São José da Lapa (MG), representantes da PCMG e do Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SIPAER) definiram que os exames nos motores da aeronave ocorrerão nos termos do protocolo internacional NSCA 3-13/2019, cujo Brasil é signatário. O referido protocolo autoriza o acompanhamento, em todas as etapas relevantes da investigação, de representantes da PCMG, do SIPAER e da fabricante dos motores. A PCMG esclarece que os trabalhos periciais, assim como de investigação do acidente em Caratinga, estão em andamento e as informações serão repassadas em momento oportuno".

*Estagiária do R7, sob supervisão de Lucas Pavanelli

Últimas