Minas Gerais MP arquiva inquérito sobre a construção do Aeroporto de Cláudio na gestão de Aécio em MG

MP arquiva inquérito sobre a construção do Aeroporto de Cláudio na gestão de Aécio em MG

Promotoria não identificou desvio de recursos e de finalidade na obra realizada no terreno que foi de um parente do político

Parlamentar disse que inquérito foi aberto de forma indevida

Parlamentar disse que inquérito foi aberto de forma indevida

Correio do Povo

O Conselho Superior do MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) arquivou o inquérito que investigava possível favorecimento e desvio de recurso público na construção do Aeroporto de Cláudio, a 138 km de Belo Horizonte. A obra foi feita em um terreno pertencia ao tio-avô do deputado federal Aécio Neves (PSDB), enquanto o tucano foi governador de Minas.

A investigação em questão já havia sido arquivada em 2015, mas foi reaberta em 2018 após a PF (Polícia Federal) captar um grampo telefônico em que Frederico Pacheco, primo de Aécio, pedia a uma pessoa para abrir o portão do aeródromo.

Com a gravação, foi levantada a suspeita de que o terminal feito sob o custo de R$ 3,9 milhões teria sido construído para beneficiar a família do tucano.

Após mais quatro anos de investigação, o relatório da promotora de Justiça Keti Turi Boscato não identificou irregularidades.

“O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) informaram que o referido aeródromo é registrado como sendo civil, público, aberto e destinado ao uso de aeronaves civis em geral, estando em situação de regularidade”, diz trecho do documento.

“Por sua vez, o Município de Cláudio informou que a pista do mencionado aeroporto se mantinha fechada para evitar a entrada de animais e que a chave ficava sob a guarda do Chefe de Gabinete José Vicente de Barros, bastando mera solicitação a ele para uso do local”, completou o relatório.

Em nota, a defesa de Aécio comemorou a decisão. Sobre o inquérito, o texto diz que ele "foi reaberto de forma indevida e novamente arquivado, pelo próprio MP, em mais uma clara demonstração da correção dos atos do então governador Aécio Neves. Mais uma falsa acusação desmascarada e arquivada".

Últimas