Coronavírus

Minas Gerais MP diz que indicadores de saúde vão guiar abertura do comércio em BH

MP diz que indicadores de saúde vão guiar abertura do comércio em BH

Ministério Público diz que capital poderá abrir o comércio não essencial mesmo estando na 'onda vermelha', desde que os indicadores permitam

  • Minas Gerais | Célio Ribeiro*, do R7

Comércio em BH poderá funcionar apesar do 'Minas Consciente'

Comércio em BH poderá funcionar apesar do 'Minas Consciente'

Pablo Nascimento / R7

O MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) anunciou que o funcionamento do comércio não essencial em BH será guiado pelos indicadores da pandemia de covid-19.

Poer uma rede social,  o órgão afirmou ter pedido ao Centro de Operações Especiais em Saúde do Estado que avaliasse, dentro de 10 dias, os indicadores da capital de forma separada da região Central de Minas Gerais.

Veja: Após 3 dias, comércio reabre em BH em meio a polêmica com MP

O MP entende que o órgão do Estado poderá orientar a abertura ou fechamento do comércio não essencial da capital mesmo que a macrorregião esteja na 'onda vermelha', que permite apenas o funcionamento dos serviços essenciais.

Abertura contestada

No dia 4 de agosto, o Executivo anunciou a abertura do comércio não essencial por três dias na semana. A reabertura contraria uma decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais que afirma que os municípios que não aderirem ao Minas Consciente só poderão permitir o funcionamento dos serviços essenciais.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Flavia Martins y Miguel

Últimas