tragédia brumadinho
Minas Gerais MP manda empresa pagar aluguel de quem vive perto de barragem

MP manda empresa pagar aluguel de quem vive perto de barragem

Segundo a promotoria, o rompimento da estrutura que fica em Congonhas, a 70 km de BH, atingiria as primeiras casas da região em 30 segundos

Barragem fica em Congonhas (MG)

Barragem fica em Congonhas (MG)

Reprodução/ Google Street View

O Ministério Público de Minas Gerais recomendou à mineradora CSN que a empresa pague aluguel para famílias que vivem próximas à barragem Casa da Pedra, em Congonhas, a 70 km de Belo Horizonte.

A recomendação se baseia em um estudo que, caso ocorra o rompimento do Maciço Principal da Barragem Casa da Pedra, 3.740 edificações serão atingidas em apenas 15 minutos.

Em reunião nessa segunda-feira (11) com a Defesa Civil, o diretor do órgão da cidade, Antenor Vechia Filho, informou que caso haja o rompimento, os bairros Cristo Rei e Residencial Gualter Monteiro seriam atingidos pelos rejeitos em 30 segundos, atingindo residências, estação de tratamento da Copasa, escolas, áreas de lazer, praças, comércios e unidades de saúde.

Veja mais: Congonhas (MG) determina revisão de plano de segurança de barragens

Em Congonhas existem, segundo a Defesal Civil Municipal, 23 barragens de rejeitos e uma de água.

A recomendação do Ministério Público é que a Companhia Siderúrgica responsável pelas barragens pague R$ 1.500 para cada família que desejar ser realocada para uma zona segura, além das despesas com a mudança, e vagas em hotéis se for necessário; elabore um plano de segurança de evacuação, e se também necessário, a construção de um bairro novo; e a transferência definitiva de uma creche e de uma escola que estão em área de risco.

O Ministério Público deu 10 dias úteis para a mineradora responder o documento. A reportagem procurou a empresa para comentar a decisão, mas aguarda retorno.