Minas Gerais MPF e Polícia Federal investigam vacinação de empresários em BH

MPF e Polícia Federal investigam vacinação de empresários em BH

Entidades apuram se grupo de empresários do transporte comprou doses da Pfizer; R7 divulgou vídeo sobre suposta vacinação

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7, com Ezequiel Fagundes, da Record TV Minas

Vacinação teria ocorrido na garagem de empresa de ônibus em Belo Horizonte

Vacinação teria ocorrido na garagem de empresa de ônibus em Belo Horizonte

Reprodução/Google Maps

A Polícia Federal e o MPF (Ministério Público Federal) abriram procedimentos para investigar a vacinação de empresários de Minas Gerais fora do grupo prioritário para a covid-19. O fato foi revelado em uma reportagem publicada pela revista Piaui nesta quarta-feira (24). Um vídeo obtido pelo R7 mostra o grupo sendo vacinado na garagem de uma empresa que pertence ao Grupo Saritur, em Belo Horizonte. 

A reportagem apurou que a PF abriu um inquérito para investigar o fato. Já o MPF anunciou a abertura, de ofício, de uma Notícia de Fato para iniciar as apurações sobre o ocorrido. 

Se a investigação confirmar as denúncias, de acordo com o Ministério Pùblico Federal, os responsáveis podem responder por diversos crimes.

Se a aquisição das doses de vacinas da Pfizer foi anterior à da aprovação do imunizante pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), os responsáveis podem responder pelo crime de falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto medicinal ou terapêutico sem registro. 

Se a compra foi feita após a autorização, eles podem ser enquadrados pelo crime de descaminho. Além disso, "todos os que foram vacinados podem responder pelo crime de receptação". 

O registro definitivo da vacina da Pfizer contra a covid-19 foi concedido pela Anvisa no dia 23 de fevereiro e o governo federal afirmou que comprou 100 milhões de doses do imunizante no dia 19 de março. A vacinação dos empresários foi flagrada, em vídeo, na última terça-feira (23).

Relembre o caso

A revista Piauí revelou em uma reportagem publicada nesta quarta-feira (24) que empresários e políticos que não estão nos grupos prioritários teriam recebido uma dose da vacina da Pfizer contra a covid-19, na última terça-feira (23), em Belo Horizonte.

O grupo ligado ao setor de transporte teria comprado os imunizantes da farmacêutica, por conta própria. O laboratório nega a venda e diz que todas as tratativas são feitas por meio do PNI (Plano Nacional de Imunização), com o governo federal.

De acordo a revista, cerca de 50 pessoas receberam a primeira dose do imunizante na garagem da empresa de ônibus Saritur. As duas aplicações teriam custado R$ 600 por pessoa. Entre os vacinados, estaria o ex-senador Clésio Andrade, que também já foi presidente da CNT (Confederação Nacional do Transporte), além de empresários do setor.

Andrade negou a informação para o R7, dizendo que se encontrava em quarentena no Sul de Minas. Ainda de acordo com a publicação, os organizadores da vacinação às escondidas seriam os irmãos Rômulo e Robson Lessa, que seriam sócios da Saritur.

Vídeo

Nesta quinta-feira (25), o R7 revelou que uma profissional de saúde conseguiu gravar, da janela de uma casa, a vacinação ocorrendo na garagem de uma empresa ligada ao Grupo Saritur. As imagens mostram uma mulher de jaleco branco, aplicando as doses nos braços das pessoas que foram até o local. 

De acordo com a mulher, a gravação foi feita por volta das 21h desta terça-feira (23) e a Polícia Militar registrou um boletim de ocorrência. 

A reportagem espera posicionamento da empresa sobre a revelação.

Confira o vídeo:

Últimas