Minas Gerais Mulher é condenada por jogar filho na lixeira três dias após o parto

Mulher é condenada por jogar filho na lixeira três dias após o parto

Segundo denúncia do Ministério Público, a mãe queria esconder a gravidez e o parto e, por isso, teria jogado o recém-nascido na lixeira

Bebê foi encontrado por lixeiro

Bebê foi encontrado por lixeiro

Pixabay

A Justiça condenou uma mulher que jogou seu filho de apenas três dias de vida em uma lixeira, no bairro São Marcos, em Belo Horizonte. O caso aconteceu em 2001 e ela foi condenada a uma pena de 10 anos e seis meses de prisão, em regime fechado. 

Segundo a denúncia apresentada pelo Ministério Público, a mulher deu à luz sem ajuda de ninguém e, três dias mais tarde colocou o recém-nascido em um saco de lixo com a intenção de matá-la.

O bebê foi encontrado por um lixeiro que o levou ao hospital. Conforme a denúncia, ela agiu por motivo torpe, já que queria esconder a gravidez e o parto. No processo, uma vizinha testemunhou dizendo que, ao contestar a mulher se ela estaria grávida, ela respondeu que se tratava de uma hérnia e que, se estivesse grávida, deixaria a criança na porta da casa dela. 

O caso chegou à Justiça nove anos mais tarde e, após realização do júri, ela foi condenada a 11 anos e oito meses de reclusão. A ré recorreu da decisão, alegando cerceamento da defesa e pediu a anulação do laudo pericial que não constatou insanidade mental. No julgamento do recurso, a pena foi considerada alta e, posteriormente, reduzida para 10 anos e seis meses.