Minas Gerais Mulher vai responder após filho de 10 ter disparado contra primo

Mulher vai responder após filho de 10 ter disparado contra primo

Crianças encontraram duas armas de fogo dentro do sofá na casa dela; menino atirou contra o outro, que morreu no local

  • Minas Gerais | André Rocha, da RecordTV Minas

A mãe de um menino de 10 anos de idade foi indiciada por três crimes depois que o filho dela atirou acidentalmente contra o primo, um ano mais novo. O caso aconteceu em novembro, na cidade de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. Duas armas ilegais estavam escondidas dentro de um sofá, que ficava na sala da casa. 

A arma que acabou sendo usada na morte da criança era um revólver calibre 38. A polícia também apreeendeu uma pistola .40 no mesmo local, de acordo com o delegado Otávio Luiz de Carvalho. 

— São duas armas ilegais e o saldo é ruim para todo mundo. Para a sociedade em geral, para a família da vítima e para a própria investigada, que vai responder pelos três crimes e ainda perdeu um ente querido.

Armas foram escondidas dentro de sofá

Armas foram escondidas dentro de sofá

Reprodução/Polícia Civil

De acordo com o inquérito da Polícia Civil, a tia da criança que morreu vai responder por posse ilegal de arma de fogo, omissão de cautela e homicídio culposo. Ela pode ser condenada a até sete anos de prisão. No momento do crime, as duas crianças encontraram as armas no sofá da sala. O mais velho disparou contra o mais novo nas costas. A criança morreu na hora. 

A tia da vítima disse à polícia que não sabia da existência das armas no local. A casa onde ocorreu o crime pertence á mulher, mas ficou desocupada durante seis meses. A mulher e o filho de 10 anos voltaram ao local somente dois dias antes do crime. 

Para a polícia, ela disse, ainda, que ela não tinha entrado em casa desde que o marido morreu, assassinado sete meses antes. Ela disse não saber da existência das armas, que pertenceriam ao homem. No entanto, para o delegado Luiz Otávio de Carvalho, ela sabia da existência das armas de fogo.  

— Ficou muito patente que as armas estavam em um local de muito fácil acesso. Bastava levantar o pano. Ela foi negligente e omissa, de ter guardado as armas em local seguro. 

Ainda de acordo com o delegado, pela lei, quem possui uma arma de fogo registrada em casa onde vivem crianças, deve guardá-la trancada dentro de um cofre. 

Últimas