Minas Gerais "Não é hora de aglomeração", diz secretário sobre covid-19 em MG

"Não é hora de aglomeração", diz secretário sobre covid-19 em MG

Secretário de saúde, Carlos Eduardo Amaral, citou aumento do número de casos e óbitos e chamou a atenção para cuidados no fim de ano

Secretário citou aumento de casos e óbitos em Minas

Secretário citou aumento de casos e óbitos em Minas

Divulgação / Governo de Minas / Pedro Gontijo

O secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, chamou a atenção para o aumento de casos, óbitos e ocupação de hospitais em todo o Estado em função do avanço da covid-19 em Minas

— É preciso que toda a população entenda que não é hora de aglomeração. É preciso manter o distanciamento, uso de máscara e higiene adequada. 

Em entrevista coletiva nesta terça-feira (22), na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, Amaral confirmou que a transmissão do coronavírus vem aumentando em todo o Estado. 

— Tem um marcador que nós utilizamos muito que é a positividade dos exames em laboratórios públicos. Estamos, hoje, em torno de 30% e esse índice tem crescido, o que mostra que o coronavírus está circulando mais na sociedade. 

Ainda de acordo com o secretário, após o pico de óbitos ocorrido em julho, a curva da contaminação em Minas Gerais teve uma "queda progressiva", mas nas últimas semanas "estamos vendo aumento nos óbitos, no número de internações de UTI na rede pública". 

— E essa demanda vem aumentando progressivamente nas últimas semanas. 

Amaral citou ainda a situação de municípios pequenos, com menos de 30 mil habitantes, que também têm tido "aumento progressivo do número de casos" e que já foi preciso transferir pacientes de uma região para outra em função do aumento no número de casos de covid-19. 

— Com esse crescimento no número de casos, nós já tivemos necessidade de ter transferência entre macrorregiões. Uma região que ficou com número de casos grande, precisamos referenciar [o paciente] para outras regiões. 

Estabilização

No entanto, o secretário espera por uma estabilização de casos nos próximos dias. Segundo ele, ao contrário do início do ano, a transmissão da covid-19, agora, é difusa, já que o vírus está espalhado por todas as partes.  

— É possível que comece a reduzir a partir do final de janeiro. O que preocupa é que Minas ainda tem uma tendência de crescimento [de casos]. Não é algo explosivo, mas como há essa tendência, temos que ser enfáticos. E a única forma é adotar o cuidado pessoal. atizcos e a unica forma é adotar cuidado pessoal.

Últimas