Novo Coronavírus

Minas Gerais Ocupação de UTIs na rede pública de BH passa de 80% após 5 meses

Ocupação de UTIs na rede pública de BH passa de 80% após 5 meses

Na rede privada de Belo Horizonte, ocupação foi a 85,6% e só restam 41 leitos de terapia intensiva disponíveis

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7

Ocupação bate recorde na rede privada

Ocupação bate recorde na rede privada

Reprodução / Pixabay

A taxa de ocupação dos leitos de UTI para pacientes com covid-19 nos hospitais da rede pública de Belo Horizonte voltou a ultrapassar os 80%. A marca foi superada após cinco meses. Em 5 de agosto de 2020, a cada 100 leitos de terapia intensiva, 83 estavam ocupados por pacientes.

De acordo com boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira (5) pela prefeitura, a ocupação dos leitos na rede pública está em 81,1%. Dos 249 leitos existentes, 202 estão ocupados. Ou seja, há apenas 47 vagas para pacientes que demandem cuidados intensivos, como uso de respiradores mecânicos, por exemplo.  

A situação também é complicada na rede particular. Ainda de acordo com o boletim da prefeitura, os hospitais da rede suplementar estão com ocupação de 85,6% nos leitos de UTI. Com isso, só há 41 leitos disponíveis dentre os 284 que compõem à rede suplementar na capital mineira. 

Para se ter uma ideia, há um mês, no dia 5 de dezembro, a Prefeitura de Belo Horizonte contabilizava uma ocupação de 67,7%. Naquela época, dos 266 leitos existentes, 180 estavam ocupados. Ou seja, em 30 dias, a rede particular abriu 18 leitos de UTI para pacientes com covid-19 mas, no mesmo período, 63 pacientes passaram a demandar vagas de terapia intensiva. 

Ao somarmos os índices da rede pública e particular da capital mineira, a taxa de ocupação nas UTIs é de 83,5%, o que coloca o indicador na fase vermelha. Os outros dois índices monitorados pela prefeitura estão na fase amarela. 

A taxa de ocupação dos leitos de enfermaria passou de 64,4% para 67,3% nas últimas 24 horas e se aproxima do limite de 70% para também passar a ser classificada como fase vermelha. 

Já o índice de transmissão do coronavírus passou de 1,06 para 1,07, o que demonstra que há uma expansão da contaminação na cidade.  

Últimas