Operação prende quadrilha de estelionatários que causou prejuízo de R$ 10 mi

Vítimas eram servidores públicos e pensionistas

Agentes das polícias Militar, Civil e Federal, do Corpo de Bombeiros e da Seds (Secretaria de Estado de Defesa Social) cumprem desde às 6h desta quarta-feira (26) 50 mandados de prisão e 36 de busca e apreensão contra uma quadrilha especializada em estelionato. Os trabalhos acontecem em Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro, simultaneamente e as investigações são sediadas na capital mineira. A partir de 11h, os detidos vão desembarcar no Aeroporto da Pampulha.

De acordo com a PF, ao longo dos cinco meses de apurações, foram identificadas centenas de vítimas da quadrilha. Os prejuízos causados pelos golpes aplicados ultrapassam os R$ 10 milhões. As vítimas eram abordadas por meio do envio de falsas notificações judiciais que noticiavam supostos créditos oriundos de previdência complementar, com as quais haviam contribuído no passado. Para a liberação do dinheiro prometido, era exigida a antecipação de valores a título de impostos e custos processuais.

Leia mais notícias de Minas Gerais no Portal R7

Experimente grátis: todos os programas da Record na íntegra no R7 Play

A maioria das pessoas que caíam no golpe eram servidores públicos e pensionistas, que depositavam elevadas quantias em contas repassadas pelos criminosos. A operação conjunta foi nomeada de Pecus, em referência à palavra do latim que signigica pecúlio, nome dado às economias de uma pessoa que, através de um ardil, eram entregues a outros. Os presos vão responder pelos crimes de organização criminosa e estelionato e podem pegar até 13 anos de prisão.