Minas Gerais Papai Noel atende a pedido e garoto autista ganha milhares de amigos

Papai Noel atende a pedido e garoto autista ganha milhares de amigos

Veja vídeo de Miguel comentando a própria carta que escreveu a Papai Noel pedindo apenas amigos; post viralizou nas redes sociais

Letra caprichada chamou atenção de internautas

Letra caprichada chamou atenção de internautas

Reprodução Redes Sociais

O Natal de Miguel Castro Souza, o garoto de 12 anos que comoveu o Brasil após a carta em que ele pediu amigos ao Papai Noel viralizar nas redes sociais, está muito melhor do que ele desejou.

O menino, que foi vítima de bulliyng por seis anos na escola, onde sofreu para ter amigos, agora tem uma legião de crianças e adultos que deseja conhecê-lo pessoalmente.

Muitos querem ir até a pacata Minduri, uma cidade com menos de 4.000 habitantes, próxima a São João Del Rei, no Vale das Vertentes de Minas Gerais.

É lá que o adolescente de cabelos encaracolados mora com o irmão gêmeo, Emanuel; o pai, de apelido Capitão; e a mãe, dona Cristina.

A própria mãe do garoto conta as boas notícias:

— Uma moça que mora em Minduri mesmo foi a primeira a vir aqui em casa. Ela passou a tarde de segunda-feira (24) com o Miguel. Ele desenhou para ela e até gravou um vídeo, porque tem gente que desconfiou que a cartinha não foi ele quem escreveu [veja o vídeo abaixo]. Mas foi.

E como foi. A foto da carta foi postada numa rede social e teve mais de 60 mil compartilhamentos.

Miguel grava, em vídeo, mensagem para comprovar autoria da carta:

O começo da história

Como Miguel, que tem uma irmã que mora em Belo Horizonte (Iara, de 28 anos) e outra no Rio de Janeiro (Ana Claúdia, de 26), virou notícia nacional?

Há três semanas, ele assistiu ao filme Crônicas de Natal, que narra a saga de dois irmãos que saíram com uma câmera em mãos para flagrar o Bom Velhinho distribuindo presentes. Miguel ficou apaixonado pelo filme e, embora já tivesse descoberto que a mãe dele era a responsável por deixar os presentes na árvore de Natal, reforçou a ideia de que o Bom Velhinho existe.

Miguel ao lado da mãe, irmão e pai

Miguel ao lado da mãe, irmão e pai

Reprodução Redes Sociais

No café da manhã seguinte, Miguel revelou à mãe: "Vou escrever uma cartinha para Papai Noel."

Ela respondeu: "Mas você disse, há algum tempo, que não acreditava mais nele?"

O menino foi rápido no gatilho: "Existe, sim. Por causa de quem pensa assim é que Papai Noel vai desaparecer. Vou escrever a cartinha."

Miguel, que adora desenhar e tem letra caprichada, pegou o mesmo caderno que usa na escola, debruçou o cotovelo sobre a mesa e narrou o que se passa com ele em Minduri:

"Papai Noel, meu nome é Miguel, tenho 12 anos e sou autista de grau leve. O que eu desejo ganahar de presente de Natal são amigos. Brinco na escola sozinho, pois as crianças me odeiam por eu ser diferente. Além disso não gosto de muito barulho, pois me deixa desorientado. Por causa da minha condição, sofro bullying e não sou respeitado".

Dona Cristina foi a primeira a ler a carta. Deixou uma lágrima escorrer pelo rosto, passou as mãos nos longos cabelos e pensou: "Meu Deus, como vou dar amigos para ele de presente? Tive uma mistura de espanto, pavor e medo. Eu fiquei mais apavorada do que triste, sem saber como iria dar aquele presente."

A reação dela foi imediata: fotografou a carta e enviou à filha mais velha, Iara, que mora em BH. A jovem, que ganha a vida como babá, postou a foto numa rede social e, 10 minutos depois, telefonou para a mãe. Ela também chorava. E contou que o post já havia sido compartilhado várias vezes.

Do outro lado da linha, dona Cristina ficou ainda mais emocionada e acessou as redes sociais para conferir, com os próprios olhos, o que estava ocorrendo.

"Fiquei espantada. Todos queriam ser amigos do Miguel. Em um só dia, ele ganhou mais de 1 mil numa rede social. Já são mais de 4,5 mil pessoas [desde que o post viralizou]. E há gente querendo vir aqui conhecê-lo", revela.

Humildade

Miguel se tornou famoso, mas continua humilde. Um dos novos amigos dele, um morador de São Paulo, entrou em contato com a família perguntando o que o adolescente deseja de Natal, além de novos camaradas.

Sabe o que ele respondeu? Dona Cristina tem prazer em contar: "Ele adora desenhar. Então, ele disse ao moço que gostaria de ganhar uma caixa de lápis para colorir. Poucos minutos depois de dizer isso, o Miguel ficou preocupado e enviou uma mensagem ao rapaz. Disse mais ou menos assim: 'Moço, não precisa ser coisa cara não. É só uma caixinha de lápis mesmo. Baratinha'".

Biólogo?

A mãe diz saber qual será o desenho do filho quando o presente chegar: "Ele adora desenhar animais. Miguel quer ser biólogo. Gosta muito de ouvir os sons dos golfinhos e desenhar aranhas.E

O menino, assim como boa parte dos adolescentes da mesma faixa etária, também é alucinado em ver vídeos de jogos em redes sociais.

Assim como todos que entendem como o Natal deve ser comemorado, dona Cristina conclui: "Cada pessoa que mandou um convite para ser amigo do meu filho na rede social está sendo, ao mesmo tempo, o Papai Noel e o presente."