Minas Gerais Paralisação de servidores afeta serviços públicos em Belo Horizonte

Paralisação de servidores afeta serviços públicos em Belo Horizonte

Servidores da educação, limpeza urbana, fiscalização, administração, cultura e Fundação de Parques fizeram greve nesta quarta-feira (15)

Algumas escolas não funcionaram em BH

Algumas escolas não funcionaram em BH

Reprodução / Record TV Minas

A paralisação de servidores públicos que acontece em várias cidades o país, nesta quarta-feira (15), afetou diferentes serviços públicos em Belo Horizonte.

Além da educação, servidores da limpeza urbana, fiscalização, administração geral, cultura, belotur e fundação de parques também cruzaram os braços nesta quarta-feira. Eles pedem garantia de direitos e melhoria de salários.

Segundo Isaral Arimar, presidente do Sindibel (Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos de Belo Horizonte), a prefeitura não respondeu a pauta encaminhada a mais de 30 dias.

— Nós também estamos fazendo uma assembleia para dar um retorno do processo de negociação com a prefeitura. O sindicato encaminhou a pauta a mais de 30 dias e ainda não obteve resposta.

Estudantes da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) protestaram contra o anúncio dos cortes na educação na Praça da Estação.

Ainda pela manhã, alunos do Cefet (Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais) saíram em passeata pelo bairro Nova Suíça, em direção ao Centro da capital. Por causa das manifestações, o trânsito ficou complicado e os motoristas tiveram que ter paciência.

Procurada, a Prefeitura de Belo Horizonte informou que está agendada para junho uma reunião para negociar os salários dos servidores municipais.

* Estagiário do R7, sob supervisão de Pablo Nascimento