tragédia brumadinho

PF em MG pode investigar rompimento de barragem

Barragem na Mina Feijão, em Brumadinho, rompeu na tarde desta sexta-feira (25) e lama invadiu a cidade

Área total dos estragos ainda não foi calculada pela prefeitura

Área total dos estragos ainda não foi calculada pela prefeitura

Reprodução

A Polícia Federal em Belo Horizonte está monitorando os desdobramentos do rompimento da barragem de Brumadinho, na Grande BH, e poderá abrir inquérito caso bem da União for atingido ou se houver uma requisição do  Ministro da Justiça e Segurança, Sérgio Moro.

Em entrevista exclusiva ao R7, o delegado Luiz Augusto, da delegacia de Repressão a Crimes Contra o Meio-Ambiente e Patrimônio da Polícia Federal em Minas, disse na tarde desta sexta-feira (25), que não descarta a possibilidade da corporação entrar no caso, como aconteceu na tragédia de Mariana, em 2015. 

"A PF irá atuar de acordo com a sua competência. No caso da barragem atingir rio considerado bem da União, quando atravessa mais de um Estado, ou caso seja feita requisição do Ministério da Justiça", explicou o delegado.

No caso de Mariana, a PF indiciou 8 pessoas, entre eles, executivos da Samarco. O delegado da época, Roger Lima, declarou que a mineradora assumiu o risco e privilegiou o lucro em detrimento da segurança. Dezenove pessoas morreram. 

Hoje, em Brumadinho, casas foram atingidas e vítimas precisaram de socorro de helicóptero do Corpo de Bombeiros. Até o momento, ninguém morreu.