Minas Gerais PF investiga suspeita de fraude na compra de respiradores em Minas

PF investiga suspeita de fraude na compra de respiradores em Minas

Empresas são suspeitas de fazer contratos superfaturados e não entregar equipamentos comprados pela Prefeitura de Coronel Fabriciano (MG) 

PF investiga esquema de compra de respiradores

PF investiga esquema de compra de respiradores

Divulgação/Gil Leonardi / Imprensa MG

A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta sexta-feira (20), nove mandados de busca e apreensão em empresas investigadas por suspeita de superfaturamento na compra de equipamentos médicos junto à Prefeitura de Coronel Fabriciano, a cerca de 200 km de Belo Horizonte.

A operação Vácuo apura o uso de empresas "laranja" para a realização de contratos com a prefeitura, para a compra de respiradores bem acima do valor de mercado. Os equipamentos são fundamentais para atender a pacientes em estado grave em decorrência da covid-19. 

A investigação ainda aponta para a suspeita de um eventual acordo entre as empresas contratadas para que não entregassem os equipamentos comprados pelo Poder Público. 

Segundo a Polícia Federal, a principal empresa investigada, que não teve seu nome revelado, teria vendido dois ventiladores pulmonares e alugado outros 10 para a prefeiura da cidade. Pelas investigações, o preço de seis meses de aluguel do equipamento supera o valor total da compra.  

A corporação ainda informou que há suspeita de que parte do material não tenha sido entregue ao executivo municipal. Uma nota técnica feita pela CGU (Controladoria-Geral da União) informou que o prejuízo com o esquema é de, no mínimo, R$ 414 mil. 

Pena

Caso os suspeitos sejam condenados, a pena pode chegar até 10 anos de prisão. A corporação informou que a prática de outros crimes que possam ser cometidos pelas empresas não estão descartados. 

*Estagiário do R7 sob supervisão de Lucas Pavanelli 

Últimas