Minas Gerais PF mira quadrilha que tentou explodir caixa eletrônico em Minas

PF mira quadrilha que tentou explodir caixa eletrônico em Minas

Ação ocorreu em maio do ano passado, em Campo Belo (MG), quando seis criminosos fizeram reféns em agência da Caixa

Quadrilha fez reféns na porta da agência

Quadrilha fez reféns na porta da agência

Reprodução/Portal Campo Belo

A Polícia Federal cumpre, nesta quarta-feira (19), oito mandados de prisão e cinco mandados de busca e apreensão contra uma quadrilha especializada em roubos e explosão de caixas eletrônicos no Sul de Minas. 

A operação "Gatilhada" foi deflagrada em Varginha, a 320 km de Belo Horizonte, com apoio da Polícia Militar. 

De acordo com a PF, as investigações começaram há um ano, após tentativa de furto de uma  agência da Caixa Econômica Federal na cidade de Campo Belo, a 220 km da capital mineira.

O caso aconteceu em maio de 2020. Na ocasião, indivíduos fortemente armados tentaram explodir os caixas eletrônicos do local durante a madrugada e fizeram reféns pessoas que esperavam a agência abrir para realizarem o saque do auxílio emergencial. Segundo testemunhas, os seis criminosos chegaram ao local em dois veículos, armados e com os rostos cobertos.

A quadrilha não conseguiu acionar os explosivos, preparados para explodirem os caixas eletrônicos. Por isso, a operação foi batizada de "Gatilhada", que é o termo usado para se acionar uma arma de fogo de forma incorreta.

As investigações apontaram, ainda, que os suspeitos foram identificados e já tinham passagem pela polícia, em crimes como furtos de veículos, obtenção de armas de fogo, fabricação de explosivos e ajustes com "olheiros".

Os suspeitos de integrarem a quadrilha vão responder, na Justiça Federal, pelos crimes de furto qualificado, explosão e associação criminosa, além de porte ilegal de arma de fogo. Se condenados, poderão cumprir mais de 24 anos de prisão.

Últimas