Novo Coronavírus

Minas Gerais PF pede mais tempo para investigar vacinação ilegal em Minas Gerais

PF pede mais tempo para investigar vacinação ilegal em Minas Gerais

Delegado ainda apura se falsa enfermeira aplicou vacinas verdadeiras contra a covid-19 em uma garagem de ônibus de BH

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Vídeos mostram vacinação em garagem

Vídeos mostram vacinação em garagem

Reprodução / R7

A Polícia Federal pediu à Justiça, nesta sexta-feira (23), mais tempo para concluir a investigação sobre um possível esquema de vacinação ilegal contra a covid-19 em Minas Gerais.

Hoje completa um mês que o caso, envolvendo empresários e político, foi revelado pela revista Piauí. Em seguida, o R7 divulgou vídeos que mostram uma mulher de jaleco branco aplicando injeções na garagem de uma empresa de ônibus em Belo Horizonte. Ela seria a falsa enfermeira Cláudia Mônica Pinheiro Torres de Freitas.

Inicialmente, a polícia teria 30 dias para concluir o inquérito, mas segundo o delegado responsável pela investigação, ainda é preciso confirmar mais alguns detalhes sobre caso.

A PF não estipulou no pedido o prazo necessário para prorrogação. Caso a Justiça também não especifique, a Polícia Federal terá mais 30 dias.

Entre os pontos que ainda precisam ser esclarecidos está a autenticidade da suposta vacina. Até o momento não foi possível confirmar que Cláudia aplicou imunizante contra a covid-19 nas pessoas atendidas por ela na garagem de ônibus e em "atendimentos" domiciliares.

Há relatos de que ela teria sido chamada para vacinar empresários em condomínios de luxo em Belo Horizonte, cidades do interior de Minas Gerais e até em Aparecida de Goiânia, em Goías.

Na casa de Cláudia foram encontradas apenas vacinas para gripe e soro fisiológico. Algumas pessoas que teriam recebido o imunizante e prestaram depoimento entregaram à polícia resultado de exames feitos por elas que indicam que não estão imunizadas. Entre elas, está a advogada Gisa Andrade, esposa do ex-senador e ex-vice-governador de Minas Gerais Clésio Andrade.

Últimas