Minas Gerais Polícia Militar vai escoltar ônibus em BH para evitar novos ataques

Polícia Militar vai escoltar ônibus em BH para evitar novos ataques

Em seis dias, quatro coletivos foram incendiados na região metropolitana de Belo Horizonte; crimes podem ter sido ordenados por detentos

  • Minas Gerais | Célio Ribeiro*, do R7, com Record TV Minas

Ônibus são incendiados na Grande BH

Ônibus são incendiados na Grande BH

Record TV Minas

A Polícia Militar anunciou que vai escoltar os ônibus que forem sair da Estação São Gabriel, na região Nordeste de Belo Horizonte. A medida busca evitar novos ataques aos coletivos que passam pelo local.

As escoltas serão feitas a partir desta terça-feira (15), nas linhas que circulam entre 20h e 22h. Por não haver viaturas suficientes para acompanhar todos os ônibus, a Polícia Militar irá posicionar equipes em pontos estratégicos da região Norte e Nordeste da capital.

O pedido de escolta foi feito pelo Setra (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros) e pela BHTrans (Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte). A medida também estenderá o horário de funcionamento da estação, que está fechando mais cedo nos últimos dias.

Ataques a ônibus

Nos últimos seis dias, quatro coletivos foram atacados na região metropolitana. Os três primeiros casos foram nos bairros Jardim Vitória, na região Nordeste, e no Jardim Felicidade, na região norte da capital. O ataque mais recente foi em Vespasiano, cidade da Grande BH. Na madrugada desta terça-feira (15), dois homens renderam o motorista do coletivo e atearam fogo no veículo.

Veja: Trio ateia fogo em ônibus em BH e deixa bilhete com motorista

A suspeita é de que os crimes tenham sido ordenados por detentos da Penitenciária Nelson Hungria, que fica em Contagem, na região metropolitana. Temendo novos ataques, a Estação São Gabriel, por onde passam as linhas que estão sendo alvo dos crimes, vem fechando mais cedo nos últimos dias.

Operação da PM

A Polícia Militar de Minas Gerais procura pelos suspeitos de terem incendiado quatro ônibus na região metropolitana de Belo Horizonte nos últimos dias. A ação também busca evitar novos crimes do tipo.

Pelo menos 80 policiais de cinco batalhões participam da Operação Fênix, entre eles agentes da tropa de choque e até um helicóptero da PM. As ações estão focadas nas regiões Norte e Nordeste da capital.

Os policiais pretendem identificar todos os suspeitos nos próximos dias. Segundo o major Rafael Cavalcanti, a expectativa é de que os envolvidos sejam detidos o mais rápido possível.

— As informações que já foram levantadas justificam a prisão preventiva dos suspeitos, que serão pedidas assim que eles forem identificados.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Flavia Martins y Miguel.

Últimas