Minas Gerais Polícia vai indiciar caminhoneiro por acidente que matou influencer

Polícia vai indiciar caminhoneiro por acidente que matou influencer

Motorista deve responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar; ele virou caminhão em área proibida na BR-277

Moto em que Júlia viajava com o marido foi atingida

Moto em que Júlia viajava com o marido foi atingida

Reprodução / Instagram

A Polícia Civil do Paraná vai indiciar por homicídio culposo na direção de veículo automotor - quando não há intenção de matar - o caminhoneiro que teria provocado o acidente que matou a influenciadora digital Júlia Hennessy Cayuela, aos 22 anos, no último dia 15 de julho, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

Segundo a corporação, o homem que não teve a identidade divulgada, transportava concreto para uma empresa que prestava serviço para a EcoRodovias, concessionária que administra a BR-277, onde ocorreu a batida.

Fábio Machado, delegado responsável pela investigação, detalhou ao R7 que o caminhoneiro fez uma conversão em área proibida. Segundo o investigador, testemunhas indicaram que o trânsito no local é permitido apenas para veículos de emergência.

— Esse motorista disse que teria sido autorizado [a passar pelo local] por alguém da concessionária.

Com a declaração do caminhoneiro, o delegado vai convocar funcionários da empresa para prestar depoimento na tentativa de descobrir se, de fato, houve tal autorização e quem foi o responsável por ela.

— Isso não retira a responsabilidade do motorista e o indiciamento dele vai seguir.

O homicídio culposo na direção de veículo automotor é um crime previsto no CTB (Código de Trânsito Brasileiro). A pena é de dois a quatro anos de prisão e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir. Após o indiciamento, caberá ao Ministério Público decidir se vai denunciar ou não o motorista à Justiça.

A reportagem procurou a EcoRodovias para comentar sobre o relato do investigado, mas não obteve retorno até o momento da publicação.

O acidente

Júlia foi resgatada de helicóptero

Júlia foi resgatada de helicóptero

Divulgação / PM de Curitiba

Júlia Hennessy, que morava em Belo Horizonte, viajava com o marido, Daniel Cayuela, em uma moto pelos Estados do Sul do país quando houve o acidente.

Segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o veículo do casal foi atingido pela carreta que tentou fazer um retorno à esquerda. A motocicleta e o caminhão seguiam no sentido Curitiba.

A influenciadora foi resgatada de helicóptero, em parada cardiorrespiratória, e morreu ao dar entrada no Hospital Universitário Cajuru, em Curitiba, capital do Paraná. O marido da jovem ficou ferido e passou por cirurgias no braço. Ele se recupera na capital mineira.

Júlia estava concluindo a faculdade de biomedicina. Antes do acidente, a blogueira tinha aproximadamente 269 mil seguidores em uma rede social onde falava sobre beleza, moda e estilo de vida. Os passeios de moto pelo Brasil estavam entre os hobbies favoritos do casal.

A jovem era filha da pastora Nina Silveira e enteada do também pastor Jerônimo Onofre da Silveira, da Igreja Quadrangular Templo dos Anjos. O corpo da influenciadora foi sepultado dois dias depois da batida, em Contagem, na região metropolitana de BH.

Vídeos mostram últimos momentos de influencer antes de morrer

Últimas