Caso Ana Hickmann
Minas Gerais Polícia vê legítima defesa na morte de 'fã' de Ana Hickmann

Polícia vê legítima defesa na morte de 'fã' de Ana Hickmann

Apresentadora estava hospedada em hotel na capital mineira quando sofreu atentado

Polícia vê legítima defesa na morte de 'fã' de Ana Hickmann

Ana Hickmann sofreu tentativa de homicídio no sábado (21) em BH

Ana Hickmann sofreu tentativa de homicídio no sábado (21) em BH

Raphael Castello/AgNews

A Polícia Civil de Minas Gerais aponta para reação em legítima defesa no assassinato de Rodrigo Augusto de Pádua, 30 anos, que invadiu no sábado (21), o quarto do hotel Ceasar Business, em Belo Horizonte, onde estava hospedada a apresentadora de televisão Ana Hickmann. Rodrigo foi morto a tiros por Gustavo Correa, empresário e cunhado da apresentadora.

Hickmann foi ouvida ainda no sábado (21) pelo Departamento de Investigação de Homicídio e Proteção à Pessoa, no bairro Bonfim, Região Noroeste de Belo Horizonte, e liberada, assim como seu empresário. A assessora da apresentadora, Giovana Alves de Oliveira, mulher de Gustavo e que também estava no quarto no momento da invasão, foi baleada e segue internada no hospital Biocor.

Conforme a Polícia Civil, Rodrigo se hospedou no hotel na sexta-feira (20). Ontem (21), depois do almoço, abordou Gustavo no elevador com um revólver calibre 38 e o obrigou a levá-lo até o quarto da apresentadora, que estava com Giovana. O agressor mandou que os três se sentassem virados para a parede e passou a dizer frases desconexas e gritar com a apresentadora.

Segundo o capitão da Polícia Militar Flávio Santiago, o assessor da apresentadora começou a discutir com Pádua sobre suas intenções. "Ele falava palavras desconexas e aparentava sofrer algum tipo de confusão mental", disse. Pelo que se apurou, o alvo de toda a sua fúria seria a apresentadora, alvo de xingamentos e queixas confusas.

Ana Hickmann se manifesta pela 1ª vez após atentado: "Nunca pensei que o ser humano fosse capaz disso"

Hickmann e Gustavo relataram ao delegado Flávio Grossi que, no momento da discussão, Rodrigo teria disparado duas vezes e acertado Giovana. As balas acertaram a assessora de Ana no ombro e na barriga. O empresário, então, começou a lutar com Rodrigo, tomou-lhe a arma e o acertou três vezes, inclusive na cabeça.

O capitão Santiago afirmou que, na sequência, o cunhado da apresentadora entregou a arma na recepção do hotel e pediu que a polícia fosse chamada.

O irmão de Rodrigo, Helissom Augusto de Pádua, que esteve no hotel, afirmou que a família verificou nas redes sociais mensagens do parente a Ana Hickmann. "Pegamos mensagens que foram enviadas à apresentadora pelo Instagram", disse. Nos textos, o atirador dizia que amava a apresentadora.

Ana Hickmann posta vídeo em rede social momentos antes de sofrer tentativa de homicídio

Helissom disse ainda que somente há pouco tempo a família ficou sabendo que Rodrigo era fã da apresentadora. Helissom contou ainda que o irmão morava em Juiz de Fora, na Zona da Mata, e que deixou a cidade afirmando que queria conhecer Belo Horizonte. O irmão afirmou ainda que Rodrigo não trabalhava, "apenas fazia academia e ia para casa".

O marido de Ana Hickmann, Alexandre Correa, seguiu ontem (21) para a capital mineira. O Hotel Caesar Business lamentou "ter sido o local do ocorrido" e afirmou que está contribuindo para as investigações. O Hospital Biocor, para onde Giovana foi levada, não detalhou o estado de saúde da vítima, alegando respeitar a vontade da família. Ana Hickmann estava na cidade para o lançamento de um produto de sua grife.

Procurada, a Record informou em nota oficial que "deseja a mais rápida recuperação de Giovana e informa que Ana Hickmann, apesar de tudo o que aconteceu, está se recuperando desta absurda situação".

Ana Hickmann presta depoimento à polícia após sofrer tentativa de assassinato:

Leia mais notícias sobre R7 Minas Gerais

Experimente: todos os programas da Record na íntegra no R7 Play

    Access log