Minas Gerais Políticos são presos em MG em ação contra migração ilegal para os EUA

Políticos são presos em MG em ação contra migração ilegal para os EUA

Ex-prefeitos, prefeito eleito e vice-prefeito em final de mandato em cidades da região do Vale do Rio Doce estão entre os 11 detidos na operação da PF

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

PF contou com apoio de equipes dos EUA

PF contou com apoio de equipes dos EUA

Divulgação / Polícia Federal

A Polícia Federal prendeu, nesta quinta-feira (3), 11 pessoas suspeitas de integrar um esquema que promove a entrada ilegal de brasileiros nos Estados Unidos. Entre eles estão ex-prefeitos, um vice-prefeito em fim de mandato e um prefeito eleito de cidades mineiras do Vale do Rio Doce. A identidade dos detidos não foi revelada.

As prisões aconteceram durante a terceira fase da operação batizada de “Cai-Cai”. As investigações começaram em outubro de 2019 após unidades da PF em três Estados receber denúncias envolvendo os suspeitos. A apuração dos fatos contou com o apoio da Adidância da Polícia de Imigração e Alfândega.

Segundo a PF, os investigados cobravam até US$ 22 mil (R$ 114.540,80 na cotação do dia) para levar cada pessoa a terras norte-americanas. Crianças e adolescentes também seriam enviados ilegamente.

“Os viajantes, sob sérios riscos, enfrentavam condições desumanas, eram forçados a corromper autoridades da imigração mexicana e ficavam submetidos aos guias denominados coiotes – criminosos, majoritariamente armados, responsáveis pela definição das rotas arriscadas de travessia de fronteira”, detalhou a Polícia Federal em nota.

Caso seja comprovada a participação dos investigados, eles podem ser condenados a 16 anos de prisão. A investigação faz parte de uma ação de cooperação policial internacional contra o tráfico de pessoas. Além das 11 prisões, a PF cumpriu 21 mandados de busca e apreensão.

As ações foram cumpridas nas seguintes cidades:

    • Governador Valadares: 1 prisão temporária e 1 busca e apreensão;
    • Tarumirim: 4 prisões temporárias e 10 buscas e apreensões;
    • Alvarenga: 2 prisões temporárias e 3 buscas e apreensões;
    • Campanário: 1 prisão temporária e 1 busca e apreensão;
    • Engenheiro Caldas: 1 prisão temporária e 4 buscas e apreensões;
    • Piedade de Caratinga: 1 prisão temporária e 1 busca e apreensão;
    • Virginópolis: 1 prisão temporária e 1 busca e apreensão.

Operações

Esta foi a segunda operação do tipo realizada pela Polícia Federal em Minas Gerais em dois dias. Nesta quarta-feira (2), os agentes saíram em busca de informações sobre um grupo que cobrava até R$ 94 mil para fazer a entrada ilegal dos brasileiros nos Estados Unidos.

Últimas