Novo Coronavírus

Minas Gerais Por erro, máscaras que seriam distribuidas em BH são rejeitadas

Por erro, máscaras que seriam distribuidas em BH são rejeitadas

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, primeiro lote com 20 mil unidades não segue as especificidades exigidas pelos especialistas da saúde

  • Minas Gerais | Luíza Lanza*, do R7

Uso das máscaras em BH é obrigatório desde abril

Uso das máscaras em BH é obrigatório desde abril

Reprodução/ Pixabay

A Prefeitura de Belo Horizonte rejeitou o primeiro lote dos dois milhões de máscaras cuja distribuição foi prometida pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD) à população carente de Belo Horizonte.

As primeiras 20 mil unidades recebidas, referente a 1% do total adquirido, não foram aprovadas pela prefeitura por não atenderem às especificidades exigidas pelos especialistas da saúde, em relação à qualidade do material e ao tamanho necessário.

A a Secretaria Municipal de Saúde informou que as máscaras foram devolvidas sem custos adicionais à Prefeitura de BH. Agora, um novo fornecedor vai substituir a entrega do material. A expectativa da prefeitura é de que a nova remessa chegue nos próximos dias.

Leia mais: Máscara de proteção passa a ser obrigatória em ônibus de MG

Obrigatoriedade

O uso obrigatório das máscaras de proteção foi adotado em Belo Horizonte desde o dia 22 de abril como forma de conter a disseminação do coronavírus.  Na semana passada, quando anunciou que distribuiria cerca de dois milhões para a população da capital mineira, Alexandre Kalil chamou que "idiotas" as pessoas que circulavam sem as proteções. 

Na mesma ocasião, o prefeito de Belo Horizonte anunciou que multaria em R$ 80 quem descumprisse o decreto, mas o Ministério Público recomendou a revogação do decreto, sob a alegação de ser uma violação dos "princípios do regime democrático e republicano".

*Estagiária do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli

Últimas