Minas Gerais Prefeitura afirma que BH passa por um surto de doenças respiratórias

Prefeitura afirma que BH passa por um surto de doenças respiratórias

Segundo a administração municipal, atendimentos de pacientes com esses sintomas nas UPAs aumentaram 35% em janeiro

  • Minas Gerais | Priscilla De Paula, da Record TV Minas

Casos de sintomas gripais lotam unidades de saúde

Casos de sintomas gripais lotam unidades de saúde

Freepik/Reprodução

A Prefeitura de Belo Horizonte afirmou, na manhã desta quarta-feira (5), que a cidade passa por um surto de doenças respiratórias.

Segundo Paulo Henrique Franco, gerente da urgência e emergência da Secretaria Municipal de Saúde, as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) tiveram um aumento de 35% em janeiro no número de atendimentos de pacientes com esses sintomas. Das pessoas que procuraram a emergência na capital, cerca de 30% são moradores da região metropolitana.

Ainda de acordo com Franco, nos três primeiros dias do ano, 1.411 pessoas procuraram os oito postos de saúde que já estavam com horário ampliado. Agora, já são nove centros, um em cada regional, com o atendimento estendido.

O gerente reforçou ainda que o surto é de sintomas respiratórios, não especificamente de Covid-19 ou de influenza. Em entrevista à Record TV Minas nesta terça-feira (4), o secretário de Saúde, Jackson Machado, já havia dito que a Covid-19 não é o principal causador da superlotação nas unidades de saúde e que os casos na capital estavam sendo monitorados.

Flurona

A Prefeitura de Belo Horizonte voltou a dizer que não há notificações de flurona, quando há dupla infecção de coronavírus e influenza.

Em Juiz de Fora, a 213 km de Belo Horizonte, a administração municipal anunciou que investiga ao menos três casos de dupla infecção simultânea de Covid-19 e gripe em pacientes. Procurada, a SES-MG (Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais) informou que, até o momento, não foram verificados registros da flurona.

Últimas