Minas Gerais Prefeitura de Ouro Preto (MG) suspende Carnaval de 2022

Prefeitura de Ouro Preto (MG) suspende Carnaval de 2022

Decisão foi divulgada nesta quarta (15); prefeito diz que festa pode voltar a acontecer no meio do próximo ano ou em 2023

Carnaval de 2022 foi suspenso na cidade histórica

Carnaval de 2022 foi suspenso na cidade histórica

Prefeitura de Ouro Preto/Reprodução

A Prefeitura de Ouro Preto, a 96 km de Belo Horizonte, anunciou a suspensão do Carnaval de 2022. A decisão foi publicada, nesta quarta-feira (15), no decreto Nº 6.319, que proíbe a realização de eventos, públicos ou privados, em espaços abertos ou fechados, em comemoração à data festiva.

Segundo o prefeito do município, Angelo Oswaldo, a decisão foi tomada com base nas recomendações da saúde pública e seguindo a maioria das cidades do Estado.

“Mas é claro que a cidade e o município estarão abertos para as outras atividades. O fluxo turístico continuará normal, como no Natal e no Ano-Novo, dentro das recomendações e protocolos da saúde pública. Mas o Carnaval fica para o meio do ano ou para 2023”, afirmou o político.

A secretária de saúde, Glauciane Resende, destacou que o município teve um desempenho exemplar na campanha de imunização. Segundo ela, a decisão de suspender o Carnaval na cidade foi alinhada com o governo, baseada em consultas com os órgãos responsáveis pelo controle epidemiológico e as projeções, como a variante Ômicron. 

“Sabemos que todos nós queremos festejar, mas vamos deixar isso para um outro momento mais seguro. Ressaltamos a importância de continuarmos mantendo as medidas de segurança, uso da máscara e as medidas sanitárias”, concluiu a secretária.

Carnaval em Minas

O secretário de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti, afirmou nesta segunda-feira (13), que duas decisões podem auxiliar na decisão da possível realização do carnaval no Estado.

Uma delas é sobre a redução do tempo para aplicação da terceira dose da vacina contra a covid-19. Atualmente, a população deve esperar cinco meses após a segunda aplicação para receber a dose reforço, mas ela o período pode ser reduzido para quatro meses.

A outra decisão depende da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) liberar a imunização para a população de 5 a 11 anos de idade, que deve ser discutida no próximo dia 18, segundo o secretário. Caso a informação se concretize, o grupo deve ser imunizado em janeiro.

As duas decisões podem influenciar na realização do evento, já que grande parte da população estaria vacinada até a data.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Ana Gomes

Últimas