Coronavírus

Minas Gerais Prefeitura rebate fala de médico sobre suposta ineficácia de vacina

Prefeitura rebate fala de médico sobre suposta ineficácia de vacina

Município questionou argumento apresentado pelo profissional de Divinópolis (MG) em vídeo e avalia abrir procedimento contra ele

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Médico divulgou gravação em rede social

Médico divulgou gravação em rede social

Reprodução / Redes sociais

A Prefeitura de Divinópolis, a 120 km de Belo Horizonte, rebateu um vídeo publicado em redes sociais por um médico da cidade que questionava a eficácia da vacina CoronaVac.

Na gravação, Delano Santiago, que trabalha em uma clínica particular e em um posto de saúde público, afirma que, seis meses após receber o imunizante, fez um teste para medir o nível de anticorpos e que o percentual teria ficado abaixo do indicado.

No entanto, a prefeitura questionou os argumentos apresentados pelo médico. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, os órgãos reguladores "desaconselham a realização de testes de dosagem de anticorpos neutralizantes para avaliar a proteção imune contra Covid-19 gerada por meio dos imunobiológicos".

Para refutar a teoria do profissional, o município citou nota técnica da Sociedade Brasileira de Imunizações. O documento divulgado no último dia 26 de março destaca que "os estudos de avaliação de eficácia vacinal baseados em testes sorológicos têm demonstrado grandes variações em diferentes cenários epidemiológicos frente às diferentes vacinas, complicando ainda mais a interpretação dos resultados de mensuração de anticorpos neutralizantes".

A Secretaria de Saúde também citou outro relatório da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), publicado no início de junho, destacando que ainda não há estudos que indicam a quantidade de anticorpos neutralizantes necessária para garantir a proteção contra a covid-19.

"Os imunobiológicos em uso no Brasil passaram por análise e autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os municípios brasileiros devem seguir o esquema vacinal e dosagem estabelecidos pela Anvisa e que foram definidos após estudos clínicos específicos", defendeu a prefeitura.

Investigação

A prefeitura informou à reportagem que avalia as circunstâncias em que o vídeo do médico Delano Santiago foi gravado. Caso tenha relação com a atuação do especialista na unidade de saúde pública, o município irá abrir um procedimento contra ele. A reportagem procurou o médico para comentar o assunto, mas aguarda retorno.

Últimas