Coronavírus

Minas Gerais Prefeitura volta a proibir consumo de bebida alcoólica em bares de BH

Prefeitura volta a proibir consumo de bebida alcoólica em bares de BH

Decreto assinado pelo prefeito Alexandre Kalil entra em vigor nesta segunda-feira (7); medida é adotada para conter avanço da covid-19 na cidade

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Venda das bebidas segue permitida

Venda das bebidas segue permitida

Reprodução / Freepik

Os bares, restaurantes, padarias, lanchonetes e feiras de Belo Horizonte não poderão vender bebidas alcoólicas para consumo no local, a partir desta segunda-feira (7).

A decisão foi anunciada por meio de um decreto assinado pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD), divulgado na manhã desta sexta-feira (4) no DOM (Diário Oficial do Município).

A restrição vale para todos os estabelecimentos alimentícios e similares que comercializem estes produtos. A venda para consumo fora do local, entretanto, segue permitida.

O texto indica que a medida foi tomada "considerando as análises sistemáticas dos indicadores epidemiológicos e de capacidade assistencial realizadas pelo Comitê de Enfrentamento à Epidemia da covid-19".

Leia também: Rede privada tem maior ocupação de leitos covid desde agosto

Este foi o primeiro recúo feito na flexibilização na cidade, após Kalil comunicar que tornaria a fiscalização mais severa, fechando estabelecimentos e prevendo até mesmo prisão dos infratores.

Esta, no entanto, não é a primeira vez que o consumo de bebidas alcoólicas é proibido na capital mineira. Em agosto deste ano, quando o prefeito autorizou a reabertura dos bares e restaurantes pela primeira vez, a estratégia adotada para evitar aglomerações foi a mesma.

Natal

O decreto 17.484, divulgado nesta manhã, também autoriza a realização de eventos de iluminação e decoração natalina, bem como de caravanas comemorativas, desde que "sem divulgação prévia e sem potencial de atração de público, mediante licenciamento específico".

Balanço da covid-19

O últmo balanço da prefeitura aponta que a cidade teve 55.039 moradores infectados e 1.675 mortos pela covid-19. O RT, índice que mede a velocidade da transmissão, está em 1,05, o que é considerado alerta amarela. O ideal é que o número fique abaixo de 1. A taxa de ocupação das UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo) está em 45,7% e a das enfermarias, em 45,5%.

O avanço da pandemia em Minas Gerais está em alerta. O secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, afirmou durante coletiva nesta quinta-feira (3) que o momento deve ser de cautela por parte da população. O representante do governo destacou que a ocupação dos hospitais aumentou nas últimas três semanas.

Minas Gerais registrou até esta quinta 428.790 infectados e 10.187 mortes causadas pela covid-19. Dados do governo apontam que 65,36% das UTIs e 68,72% das enfermarias estão ocupadas.

Últimas