Minas Gerais Presença de coronavírus em esgoto indica aumento de casos em BH

Presença de coronavírus em esgoto indica aumento de casos em BH

Estudo da UFMG encontrou vírus em 100% das amostras de esgoto coletadas na capital, o que não acontecia desde julho; reabertura pode ter influenciado

  • Minas Gerais | Célio Ribeiro*, do R7, e Rodrigo Dias, da Record TV Minas

O número de casos de covid-19 deve aumentar em Belo Horizonte nos próximos dias, indica um estudo realizado pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) por meio do monitoramento da presença do coronavírus na rede de esgoto da capital mineira.

De acordo com  dados divulgados na última semana, 100% das amostras de esgoto analisadas testaram positivo. A alta nos números vem após quatro semanas seguidas de queda e se aproxima do que havia sido registrado em julho, mês com maior incidência da covid-19 na capital mineira.

Veja: Quase 6 mil pessoas já morreram com coronavírus em Minas Gerais

Os bairros Santa Efigênia, Paraíso e Vila Cafezal, na bacia do Ribeirão Arrudas, tiveram a maior carga viral do estudo. Já na bacia do Ribeirão do Onça, os bairros Minas Caixa, Rio Branco e Piratininga tiveram registro dos maiores índices.

Segundo a coordenadora do projeto, Juliana Calábria, outras cidade da Grande BH podem ter alta nas próximas semanas.

— Em Contagem também foi verificado um aumento na carga viral do esgoto. Isso mostra que as medidas de prevenção na cidade devem ser mantidas e ampliadas.

Amostras de esgoto indicam aumento de casos

Amostras de esgoto indicam aumento de casos

Josué Cruz/Agência Brasil

Fluxo de pessoas

A pesquisadora acredita que o aumento da presença do novo coronavírus no esgoto da capital pode ser reflexo da reabertura do comércio na cidade. Os casos de aglomeração durante o feriado da Independência também preocupam.

— As pessoas se aglomeraram, muitas não usam máscara, o fluxo de pessoas nos estabelecimentos aumentou, como se não existisse mais pandemia.

O infectologista Unaí Tupinambás também percebe essas mudanças na população. Segundo ele, é preciso levar a pandemia à sério, já que um possível aumento nos casos de covid-19 pode gerar um novo fechamento do comércio.

— Os números agora estão favoráveis mas o vírus está circulando, então temos que evitar aglomerações. O meu receio é que o comércio volte a fechar nos próximos meses e a gente tenha que fazer uma reabertura próxima ao Natal.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli

Últimas