Minas Gerais Procurador do "miserê" recebeu R$ 124 mil em dois meses de trabalho

Procurador do "miserê" recebeu R$ 124 mil em dois meses de trabalho

Em setembro deste ano, membro do Ministério Público de Minas Gerais reclamou do salário de R$ 24 mil e disse que não consegue viver com o valor

Procurador reclamou do salário de R$ 24 mil líquido

Procurador reclamou do salário de R$ 24 mil líquido

Reprodução/Redes sociais

O procurador de Justiça que se tornou notícia nacional ao chamar de “miserê” o salário de R$ 24 mil que recebe pelo cargo no Ministério Público de Minas Gerais teve o contracheque registrado com R$ R$ 124.029 nos meses de agosto e setembro deste ano.

Em agosto, o salário base de Leonardo Azeredo dos Santos, que é de R$ 35.462,22, foi acrescido de R$ 76.794,29 de indenizações e remunerações retroativas e temporárias. No mês seguinte, os complementos somaram R$ 47.235,56. Na prática, em valor líquido, o servidor público ganhou R$ 100 mil.

Em setembro deste ano, o procurador desabafou em uma reunião interna do MP sobre o que ele chama de "baixos salários" dos membros órgão estadual. Durante a reunião, Santos pediu ao Procurador-Geral de Justiça que utilizasse da sua "criatividade" para melhorar a situação financeira da categoria. Na época, o MP informou que não havia nenhum projeto para atualização salarial.

"Como é que o cara vai viver com R$ 24 mil? O que é que nós vamos fazer para melhorar a nossa remuneração?", perguntou o procurador durante o encontro. Em outro momento da reunião, o procurador do MP mineiro chama de "miserê" o salário de R$ 24 mil líquidos. Ouça a gravação:

O R7 procurou o Ministério Público para comentar a origem das indenizações recebidas pelo procurador em agosto e setembro, mas ainda aguarda retorno. A reportagem tenta contato com o procurador para comentar o caso.