Projeção para de avançar e pico de casos em MG deve ser 10 de junho 

Da última previsão, data ápice das contaminações só progrediu um dia; SES anunciou que cálculo, agora, vai se basear somente no contexto mineiro

Estado vai mudar método para calcular as previsões

Estado vai mudar método para calcular as previsões

Reprodução/Facebook

A SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde) divulgou, nesta sexta-feira (22), que o Estado espera que o pico das contaminações pelo novo coronavírus aconteça no dia 10 de junho.

A data, se comparada às projeções anteriores que previam o ápice do contágio para o dia anterior, não representa uma grande progressão da doença no tempo, como vinha acontecendo desde o início da pandemia.

Leia mais: Entenda como funciona o plano de reabertura do comércio em BH

Com mudanças pouco significativas, o secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, anunciou que Minas vai mudar a forma de cálculo das projeções. Antes, os dados eram projetados baseados, também, na curva de contágio do Brasil. Agora, os estudos vão analisar somente o contexto estadual. 

— O que estamos fazendo agora é tentar separar as projeções. Há 15 dias, estamos avaliando se conseguimos fazer uma curva com o número de dados razoáveis para termos a projeção Minas Gerais-Minas Gerais. Ou seja, o número de caso esperado para o Estado em determinado momento com a tendência da curva para Minas Gerais. 

Para o secretário, como Minas está com um número de casos da covid-19 menor que média nacional, é provável que a próxima projeção adie o pico da contaminação para "um pouco mais para a frente".

Transmissão

Atualmente, Minas Gerais tem 5.995 casos confirmados e 201 mortes causadas pela doença. De acordo com Amaral, a taxa de transmissão do vírus no Estado está em 1,24. 

— É uma taxa que, para nós, mostra a eficiencia das medidas de isolamento que tomamos até agora. O ideal seria por volta de 1, mas, perto do que foi o início da epidemia, em que tinhamos em torno de 4,5, estamos com uma taxa muito bem controlada.  

O contágio controlado, com a taxa em torno de 1, foi o que permitiu que Belo Horizonte anunciasse, nesta sexta-feira, a reabertura gradual do comércio. A partir de segunda (25), está autorizado o funcionamento de salões de beleza, shoppings populares e alguns tipos de comércio varejista.

*Estagiária do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli