tragédia brumadinho
Minas Gerais Risco de rompimento de barragem afasta visitantes de cidade turística

Risco de rompimento de barragem afasta visitantes de cidade turística

Comerciantes de Macacos (MG), conhecido reduto de cachoeiras e trilhas, a 25 km de Belo Horizonte, lamentam cancelamentos e fuga de turistas da região

barragem macacos economia turistas

Economia do distrito está sendo afetada nos últimos dias

Economia do distrito está sendo afetada nos últimos dias

Reprodução / RecordTV Minas

A ameaça de rompimento da barragem de uma barragem da Vale no distrito de São Sebastião das Águas Claras, conhecido como Macacos, em Nova Lima, na Grande BH, afeta bruscamente a economia da comunidade.

No último domingo (17), cerca de 170 moradores da região foram surpreendidos por uma sirene de alerta e precisaram deixar suas casas. A remoção aconteceu após uma empresa de auditoria se negar a atestar a estabilidade das barragens B3 e B4, da Mina Mar Azul.

Veja também: Bombeiros encontram almoxarifado soterrado em Brumadinho

A comunidade, procurada por turistas de várias partes do país, tem ficado vazia. Jaime Gomes dos Santos, dono de um restaurante em Macacos, reclama da fuga dos clientes. O estabelecimento não está na rota da lama, mas o medo fez os clientes sumirem.

— Eu pago faxineira, cozinheira e garçons. Onde eu vou encontrar dinheiro para isso?

Morador da cidade há 30 anos, Santos foi um sobrevivente da tragédia de 2001, quando uma barragem se rompeu e provocou a morte de 5 pessoas. Ele ficou 40 minutos debaixo da lama e a sirene que tocou no último sábado fez o comerciante reviver um pesadelo.

— Foi uma sensação horrível.

Desde que a sirene foi tocada, os donos de hotéis e pousadas têm recebido ligações de cancelamento das reservas. Ronaldo Apáricio Rodrigues conta que já perdeu hóspedes previstos para o Carnaval.

— Já tivemos 50% de desistência do carnaval. Agora, vou ter que devolver todo o dinheiro.