Coronavírus

Minas Gerais Saúde de MG alertou prefeituras sobre rigor na fila de vacinação

Saúde de MG alertou prefeituras sobre rigor na fila de vacinação

Em reunião, membros da Secretaria de Saúde avisaram gestores municipais sobre risco de faltar vacina em caso de "fura-fila"

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7, e Enzo Menezes, da RecordTV Minas

Resumindo a Notícia

  • Alerta foi feito em reunião e recomendação era destinada a municípios
  • Secretaria de saúde já tinha iniciado vacinação de servidores na data da reunião
  • Ao todo, 828 servidores da Secretaria de Estado de Saúde foram imunizados
  • Denúncia de vacinação irregular motivou aberta de CPI na Assembleia
Secretário Carlos Eduardo Amaral foi exonerado após o escândalo de vacinação na sua pasta

Secretário Carlos Eduardo Amaral foi exonerado após o escândalo de vacinação na sua pasta

Divulgação/Imprensa MG/Pedro Gontijo

A SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais) alertou municípios para a possibilidade de faltar vacinas para os grupos prioritários, caso eles optassem por não seguir a ordem determinada pelo PNI (Plano Nacional de Imunização), do Ministério da Saúde.

O aviso foi feito em uma reunião CIB-SUS (Comissão Intergestores Bipartite), em 18 de fevereiro, dois dias depois de a própria SES-MG ter dado início à imunização de seus próprios servidores. Ao todo, 828 funcionários foram vacinados contra a covid-19, sendo que mais de 300 não faziam trabalho de campo. A convocação da pasta para imunização de seus funcionários previa até mesmo quem estava em "home office"

Durante a reunião, que contou com representantes da pasta, a Coordenação de Imunizações apresentou uma Recomendação sobre os Grupos Prioritários. De acordo com o ofício nº 33/2021, "não seguir a ordem priorizada pelo PNI pode acarretar na falta de vacinas para os grupos de maior risco de adoecimento e óbito pela covid-19".

O documento também informa que o PNI recomendava, em primeiro lugar, a imunização dos profissionais de saúde que estivessem em unidades de atendimento à covid-19, mas que ficou "facultado a cada UF [unidade da federação] definirem em esfera bipartite essa estratificação de acordo com suas respectivas realidades locais". 

A SES-MG também alertou aos municípios que não haveria doses extras de vacinas caso a ordem de prioridade de vacinação fosse alterada pelos gestores municipais. 

Naquele momento, o Estado de Minas Gerais havia vacinado 73% dos profissionais de saúde e dava início à imunização de idosos com mais de 90 anos. No entanto, os servidores que atuam na Cidade Administrativa começaram a ser vacinados contra a covid-19. 

Fura-fila

A reunião do dia 18 de fevereiro contou com a participação do então secretário-adjunto de Saúde, Marcelo Cabral. Ele foi exonerado no último sábado (13),  juntamente com o então secretário Carlos Eduardo Amaral

O R7 e a RecordTV Minas revelaram, na semana passada, que servidores da Secretaria de Estado de Saúde, mesmo fora do grupo prioritário, foram vacinados contra a covid-19.

O caso motivou a abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, que requereu o envio da lista oficial de servidores imunizados. Na ultima sexta-feira (12), o Governo de Minas encaminhou um documento com nomes de 828 pessoas vacinadas. 

Últimas