Minas Gerais Secretário de Saúde de MG testa positivo e faz apelo por vacinação

Secretário de Saúde de MG testa positivo e faz apelo por vacinação

Por meio de nota, o Governo de Minas Gerais divulgou, neste domingo (13), que Fábio Baccheretti está com Covid-19

  • Minas Gerais | Ana Gomes, Do R7

Baccheretti está com sintomas leves

Baccheretti está com sintomas leves

Divulgação / ALMG / Luiz Santana

O Governo de Minas anunciou, neste domingo (13), que o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, testou positivo para a Covid-19. Com sintomas leves e em isolamento, o chefe da pasta concedeu entrevista à Record TV Minas, na manhã desta segunda-feira (14), e fez um apelo para que a população se vacine.

“Existem estudos que dizem que há 20 vezes mais óbitos entre os não vacinados. A vacina é a nossa única saída”, afirma.

O alerta para a imunização também foi reforçado pelo governador Romeu Zema (Novo) em uma postagem nas redes sociais. “Entre os internados com Covid em Minas hoje, os que não se vacinaram são proporcionalmente três vezes mais do que aqueles que tomaram todas as doses. O problema não está na vacina e sim na desinformação. Vacinas salvam vidas! Vacine.”, escreveu o político na noite deste domingo (13).

Até o momento, o estado tem 16.916.364 pessoas imunizadas com a primeira dose, 15.494.627 com a segunda e 500.906 tomaram o reforço. Nas últimas 24 horas, foram confirmados 1.797 pacientes positivos e 48 mortes em decorrência da doença. Ao todo, 3.014.713 contraíram o vírus em Minas.

“O importante é lembrar que lá em março do ano passado, o estado tinha 400 mortes por dia, 10 vezes mais do que o registrado no último boletim. Certamente demonstra um outro tipo de pandemia. Vemos as notificações despencando nas cidades. A mesma curva do mundo inteiro vai se repetir aqui”, aponta Baccheretti sobre os próximos meses.

Sobre o aumento de casos no inverno, o secretário afirmou que a expectativa é que seja uma estação mais tranquila em relação ao surgimento de novos casos.

“Ainda não sabemos como será. Como tivemos um pico de influenza em dezembro, há chances de passarmos por inverno mais tranquilo”, finaliza.

Últimas