Novo Coronavírus

Minas Gerais Sem leitos e médicos, Coromandel (MG) decreta calamidade pública

Sem leitos e médicos, Coromandel (MG) decreta calamidade pública

Secretário de Saúde de Minas Gerais vai à cidade amanhã para anunciar "medidas emergenciais" após transferir pacientes 

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli e Célio Ribeiro*, do R7

Secretário de estado de saúde foi chamado às pressas e visita Santa Casa de Coromandel

Secretário de estado de saúde foi chamado às pressas e visita Santa Casa de Coromandel

Reprodução/Google Maps

O prefeito de Coromandel, Fernando Breno (Patriota), fez um apelo ao governo federal e ao secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, por causa da situação do sistema de saúde da cidade, que entrou em colapso devido à covid-19. A prefeitura decretou estado de calamidade pública no município. 

O secretário confirmou que vai se deslocar à cidade, que fica a 500 km de Belo Horizonte, nesta terça-feira (16) para visitar unidades de saúde. 

A cidade tem menos e 30 mil habitantes e contabiliza 926 casos de covid-19. Desde o início da pandemia, 16 pessoas morreram em decorrência da doença no município. A situação se agravou durante o mês de fevereiro. Em apenas 15 dias, o total de casos mais que dobrou: de 417 para 926. Um quarto das mortes registradas na cidade ocorreram do dia 1º de fevereiro até hoje. Os dados constam no boletim epidemiológico divulgado pelo Governo de Minas.  

De acordo com o chefe do Executivo municipal, em um vídeo postado na página da prefeitura em uma rede social, não há médicos, nem técnicos em enfermagem para tratar dos pacientes com a covid-19.  O R7 apurou que todos os 19 leitos de enfermaria e os 4 leitos semi-intensivos que compõem a rede de assistência à saúde no município estão cheios neste momento. 

Além disso, ao menos cinco pacientes foram transferidos do município para outras cidades, como forma de desafogar o sistema de saúde da cidade. 

— Eu pedi socorro a eles devido à situação que estamos vivenciando aqui, de calamidade em saúde. A Presidência está vendo o que pode ser feito para que possamos montar nossos leitos de UTI. Pedi apoio também para [contratação de] profissionais de saúde. A gente precisa de médicos, enfermeiro, técnicos em enfermagem para melhorar o atendimento. 

Socorro

O secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, vai até a cidade nesta terça-feira (16). Ele desembarca no município na parte da manhã e concede entrevista coletiva na parte da tarde para anunciar "medidas emergenciais" para a cidade de Coromandel. 

A agenda do secretário ainda inclui visitas à Santa Casa, à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e à secretaria municipal de saúde.

Mais cedo, a SES-MG havia divulgado a criação de uma força-tarefa para atuar nos municípios da região Triângulo do Norte. Além dos cinco pacientes de Coromandel transferidos, outros quatro foram levados da cidade de Monte Carmelo para Divinópolis. Na semana passada, outros pacientes já haviam sido levados para outras cidades. 

Em Monte Carmelo, o prefeito chegou a confirmar que faltou oxigênio em unidades de saúde, mas a SES-MG afirma que o problema foi pontual e já está resolvido.  

Últimas