Coronavírus

Minas Gerais Servidores em trabalho remoto são vacinados em Uberlândia (MG)

Servidores em trabalho remoto são vacinados em Uberlândia (MG)

Funcionários administrativos da Superintendência Estadual de Saúde que trabalham na cidade também teriam sido imunizados

Servidores estaduais da Saúde que não fazem parte do grupo prioritário foram vacinados em Uberlândia, a 530 km de Belo Horizonte. Entre os mais de 100 imunizados, aparecem funcionários administrativos e que estão em teletrabalho.

A lista dos trabalhadores da Superintendência de Saúde de Uberlândia que deveriam ser vacinados foi feita pelo diretor da unidade, Marcelo Ferreira, e enviada para a prefeitura.

O documento, feito com base em um memorando enviado pelo então secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, enumera uma série de prioridades que deveriam ser seguidas, todas de acordo com o PNI (Plano Nacional de Imunização).

Após os trabalhadores que tenham contato com o público, deveriam ser imunizados os demais servidores, incluindo os administrativos. Mas isso só poderia ocorrer caso não houvesse prejuízo à vacinação dos idosos.

Cronograma indica vacinação fora do grupo prioritário

Cronograma indica vacinação fora do grupo prioritário

uberlandia

Mas o cronograma que teria sido compartilhado em um grupo de servidores estaduais em Uberlândia dá indícios de que a recomendação não estava sendo seguida. No texto, fica bem claro que todos os funcionários da pasta seriam imunizados no dia 22 de fevereiro, incluindo os trabalhadores da gestão e os que estão em teletrabalho.

Em nota, a Prefeitura de Uberlândia confirmou que vacinou 112 dos 130 funcionários da Superintendência que estavam na lista, mas não informou os critérios estabelecidos para a escolha dos vacinados, já que isso era responsabilidade do diretor da unidade. Ainda segundo a prefeitura, a lista não trazia nenhuma ordem de prioridade, mas apenas elencava quais trabalhadores deveriam ser vacinados.

Veja: Saúde de MG alertou prefeituras sobre rigor na fila de vacinação

O jornalismo da TV Paranaíba solicitou à SES-MG a lista de vacinados, mas o pedido não foi respondido. Em nota, a pasta informou que fazem parte dos grupos prioritários “os trabalhadores das Secretarias Municipais de Saúde que, em razão de suas atividades, tenham contato com o público”. Ainda segundo a SES-MG, muitos servidores visitam hospitais ou fazem viagens relacionadas à políticas públicas de Saúde, razão pela qual integram o grupo prioritário.

“Fura-fila” na Saúde

Na semana passada, o R7 revelou que servidores públicos, concursados e em cargos de confiança da SES-MG foram vacinados contra a covid-19 mesmo não fazendo parte dos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde e pelo próprio Governo Estadual. Entre os imunizados, estavam funcionários em teletrabalho e até o secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral.

Na última quarta-feira (10), Amaral foi convocado pela ALMG (Assembleia Legislativa de Minas Gerais) para explicar as denúncias e, em sua defesa, alegou que se vacinou para dar exemplo. No mesmo dia, deputados se articularam para abrir uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito).

Na quinta (11), Carlos Eduardo Amaral afirmou, em entrevista coletiva, que não cogitava sair da Secretaria de Saúde. Porém, horas depois, o Governador Romeu Zema (Novo) anunciou o afastamento do Amaral e a escolha do médico Fábio Baccheretti para chefiar a pasta.

Últimas