Coronavírus

Minas Gerais Servidores foram vacinados antes da linha de frente em MG, diz CRM

Servidores foram vacinados antes da linha de frente em MG, diz CRM

Presidente do Conselho, Cibele Alves, prestou depoimento na CPI que investiga irregularidades na vacinação em Minas Gerais

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7

Presidente da CRM é ouvida na CPI

Presidente da CRM é ouvida na CPI

Reprodução/TV ALMG

Os servidores administrativos da SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais), incluindo o ex-secretário Carlos Eduardo Amaral, foram imunizados contra a covid-19 antes que todos os profissionais que estão na linha de frente do combate á covid-19 tivessem sido vaciandos.

A informação é da presidente do CRM-MG (Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais), Cibele Alves de Carvalho, que foi ouvida pela CPI dos Fura-filas na Assembleia de Minas, nesta terça-feira (30). A comissão parlamentar de inquérito investiga se há irregularidades no processo de vacinação dos servidores, que levou à exoneração do ex-secretário

De acordo com Cibele Alves, em reunião com o CRM-MG, Carlos Eduardo Amaral, teria prometido que todos os profissionais de saúde seriam imunizados contra a covid-19 até o fim de fevereiro, mas o prazo não foi cumprido. 

— O mês de fevereiro passou e não vimos a convocação de profissionais de saúde a não ser da linha de frente. Ao ser questionado pelo CRM, ele falou que, por questões de atraso na distribuição de vacinas do Ministério da Saúde, estavam com um atraso de 30 dias no calendário. Imaginamos que, até o fim de março, todos os profissionais de saúde seriam vacinados. Da mesma forma isso nao ocorreu.

Veja: Entidade denuncia falta de vacina para profissionais de saúde em MG

Ainda segundo a presidente do CRM-MG, em meados de fevereiro, quando o secretário Carlos Eduardo Amaral teria sido vacinado, ainda havia profissionais de saúde da linha de frente sem vacinação. 

— Com certeza [naquela época] tínhamos profissionais da linha de frente a serem vacinados. Talvez não um número grande, mas a gente ainda tinha profissionais da linha de frente a serem imunizados, principalmente na atenção primária. 

Fura-filas

O R7 revelou, no início do mês, que a SES-MG vacinou servidores da parea administrativa fora dos grupos prioritários e, inclusive, convocou profissionais em home office para serem imunizados contra a covid-19. O episódio é investigado pelo Ministério Público de Minas Gerais e uma CPI foi aberta na Assembleia para apurar os fatos.

O secretário Carlos Eduardo Amaral, responsável pela vacinação dos servidores, foi exonerado junto com o secretário-adjunto Marcelo Cabral.  

A SES-MG encaminhou uma lista com 828 nomes de servidores que foram vacinados para a Assembleia de Minas, entre eles profissionais da área de comunicação e fotógrafo, além de gestores de 1º, 2º e 3º escalões que trabalhavam na Cidade Administrativa.

Mais de 1,8 mil servidores, 134 deles em home office, também foram vacinados nas Superintendências Regionais de Saúde, no interior do Estado. Também houve vacinação de servidores na Assembleia de Minas, incluindo 20 estagiários que trabalham como recepcionistas. 

Últimas