Minas Gerais Setor de beleza espera alta de 40% com as festas de fim de ano

Setor de beleza espera alta de 40% com as festas de fim de ano

Recém-chegados no mercado, como o Vitrine Beauty, já percebem o crescimento; aumento deve se estender nos próximos meses

  • Minas Gerais | Conteúdo Patrocinado

App teve mais de 1.500 downloads só no 1º dia

App teve mais de 1.500 downloads só no 1º dia

Com a chegada do verão, aliada às tão esperadas festas de fim de ano, o mercado dos procedimentos estéticos se movimenta. O Sind Beleza MG (Sindicato dos Empregados em Institutos de Beleza e Cabeleireiros de Minas Gerais) calcula um aumento de 40%, comparado a outras épocas do ano. 

Sergio Pinheiro, agenciador credenciado ao sindicato, destaca que esse cenário deve se entender pelos próximos meses. "Porque aí tem o verão, com as pessoas viajando e as férias".

Procura aumentou no fim de ano

Procura aumentou no fim de ano

Vitrine Beauty

Esse reflexo é sentido até mesmo por quem está chegando no mercado agora. Os idealizadores do recém-lançado aplicativo Vitrine Beauty comemoram o retorno positivo do público já no primeiro dia em atividade.

"A quantidade de downloads do aplicativo, em poucos dias, superou às expectativas. A gente esperava por 5.000 em três meses, mas só na data de lançamento do Vitrine Beauty, foram mais de 1.500 usuários baixando o aplicativo" conta Daniela Colett, empresária responsável pela criação da plataforma.

A ideia é promissora: o Vitrine Beauty oferece um cardápio com prestadores de procedimentos de beleza e estética e conecta o cliente que busca pelo serviço. A plataforma disponibiliza especialistas ao público que busca ótimas referências, boa localização, preço e qualidade.

A empresária avalia que a explicação para o "sucesso" no lançamento pode estar na preocupação que boa parte das pessoas tem em se arrumar melhor para as festividades desta época do ano.

Vitrine Beauty

Aplicativo está nas lojas digitais

Aplicativo está nas lojas digitais

Vitrine Beauty

O projeto do Vitrine Beauty surgiu há pouco mais de um ano, quando a gaúcha Daniela Colett se mudou para Belo Horizonte. “Eu queria contratar serviços de beleza com boas indicações, mas não tinha a quem perguntar. Foi quando surgiu a ideia do aplicativo: algo que oferecesse um cardápio de opções com avaliações, contato e localização”, conta.

Daniela também viu na proposta um meio de ajudar os trabalhadores do setor de beleza, impactados pelos reflexos financeiros da pandemia de covid-19.

“Juntando as duas vias, oferta e demanda, o aplicativo está sendo muito benéfico. Ele é a chance de gerar uma fonte de renda para quem precisa. O profissional recebe 100% do valor do serviço que ele conseguiu vender pela plataforma”, conta a fundadora.

Disponível para Download:
Site l Google Play l App Store

Últimas