Minas Gerais SUS deve ficar com vacinas que forem achadas pela PF em garagem

SUS deve ficar com vacinas que forem achadas pela PF em garagem

Polícia Federal fez buscas em garagem de ônibus onde empresários do setor de transporte teriam se vacinado contra a covid-19 em BH

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7

Polícia Federal fez operação em garagem de empresa onde vacinação teria ocorrido

Polícia Federal fez operação em garagem de empresa onde vacinação teria ocorrido

Reprodução/RecordTV Minas

A Justiça determinou que, caso a Polícia Federal encontre doses de vacinas na garagem de uma empresa de ônibus de Belo Horizonte, os imunizantes devem ser direcionados ao SUS (Sistema Único de Saúde). O local foi alvo de uma operação da PF na manhã desta sexta-feira (26) e seria onde empresários do setor de transportes teriam sido imunizados contra a covid-19.

Os policiais estavam atrás de documentos, celulares, imagens de circuito interno de segurança e eventuais doses de vacinas contra a covid-19.  

O pedido foi feito pelo MPF (Ministério Público Federal) à 35ª Vara Federal Criminal de Belo Horizonte. De acordo com a Justiça, caso os imunizantes sejam localizados, eles devem ser encaminhados ao Ministério da Saúde, para distribuição e aplicação segundo as regras do PNI (Programa Nacional de Imunizações).

A decisão da Justiça Federal diz ainda, que não deve ser admitido que "cidadãos se coloquem em posição privilegiada".

"A luta pela vacina é uma luta coletiva. E, nesse cenário caótico, de evidente escassez de oferta da vacina, indícios de burla à regras de preferência na ordem de imunização são inadmissíveis, especialmente quando, em tese, podem configurar crime”, diz trecho da decisão.

Investigação

O MPF e a Polícia Federal investigam a suposta vacinação de empresários em Belo Horizonte. De acordo com uma reportagem da revista Piauí, publicada na última quarta-feira (24), a vacinação teria ocorrido em uma garagem de ônibus ligada ao Grupo Saritur, na capital mineira. É esse o local alvo da operação da PF nesta sexta. 

De acordo com a matéria, empresários ligados ao setor de transportes e políticos, a maior parte de Minas Gerais, teriam se vacinado contra a covid-19 utilizando doses de vacinas da Pfizer - que ainda não está sendo aplicada no país.

O ex-senador Clesio Andrade, que também foi presidente da CNT (Confederação Nacional dos Transportes), teria confirmado o episódio á reportagem. Ao R7, no entanto, ele negou que tivesse conhecimento sobre o assunto e disse que estava "em quarentena, no Sul de Minas".

Nesta quinta-feira (25), o R7 publicou um vídeo que mostra uma série de pessoas recebendo vacinas na garagem de uma empresa do Grupo Saritur. É esse o local alvo da Polícia Federal. O vídeo mostra uma mulher de jaleco branco aplicando as doses de vacinas.

Veja:

Últimas