Taxa de transmissão cai, mas ocupação de UTIs cresce em BH

Capital mineira entrou, nesta sexta-feira (5) na segunda fase de abertura do comércio, com a autorização para funcionamento de mais 11 segmentos

Secretário de saúde anunciou segunda fase

Secretário de saúde anunciou segunda fase

Reprodução/RecordTV Minas

A taxa de transmissão do novo coronavírus em Belo Horizonte caiu no intervalo de uma semana, o que possibilitou que a prefeitura prosseguisse com a política de reabertura gradual do comércio na cidade. A partir da próxima segunda-feira (8), estabelecimentos de mais 11 segmentos poderão abrir suas portas

A taxa de transmissão é um dos três indicadores monitorados diariamente pela equipe de epidemiologistas da secretaria municipal de Saúde de Belo Horizonte. Na última sexta-feira (29), quando o prefeito Alexandre Kalil (PSD) decidiu por não avançar na abertura dos estabelecimentos comerciais, o índice estava em 1,24 e, uma semana depois, caiu para 1,07. 

Esse índice indica a taxa média de transmissão do novo coronavírus por uma pessoa que está contaminada. Hoje, em BH, em média, cada grupo de 100 infectados contaminam 107 pessoas. Quando mais próximo (ou menor) que 1, melhor a taxa.

Apesar de a melhoria neste indicador ter permitido a ampliação da política de abertura do comércio em Belo Horizonte, a capital mineira tem visto a taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) subir.  

Na última sexta-feira, 52% dos leitos de terapia intensiva destinados para tratamento de pacientes com covid-19 estavam ocupados. Hoje, essa taxa já é de 64%. A ocupação de leitos de enfermaria também vem crescendo na cidade. Há uma semana essa taxa era de 43% e, agora, é de 49%. 

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado, esses indicadores são monitorados diariamente e vão determinar a evolução ou não do processo de reabertura gradual em Belo Horizonte. 

— Estamos monitorando esses três indicadores e mais alguns todos os dias. Se explodir o número de casos, pode ser que a gente volte atrpas e feche tudo, determine o "lockdown". Pode acontecer qualquer coisa, o monitoramento diário é que vai nos dizer.

Segunda fase

A Prefeitura de Belo Horizonte avançou para a segunda fase de abertura do comércio na cidade. Mais 11 setores poderão voltar a funcionar na próxima segunda-feira (8).

- Artigos usados
- Esportivos, Camping e afins;
- Calçado;
- Artigo de viagem;
- Artigos de Joalheria;
- Souvenirs, Bijuterias e Artesanato;
- Plantas, Floriculturas, Artigos para animais (exceto, comércio de animais vivos);
- Bebidas (sem consumo no local);
- Instrumentos Musicais e Acessórios;
- Objetos de Arte e Decoração;
- Tabacaria, Armamentos, Lubrificantes.

Esses estabelecimentos se somam a outros cerca de 10 mil comércios que foram autorizados a abrir as portas a partir de 25 de maio: 

- Salões de beleza (exceto clínicas de estética): 7h às 21h
- Shoppings populares: 11h às 19h
- Comércio varejista de móveis, artigos domésticos, cama, mesa e banho, tecido e afins: 11h às 19h
- Papelaria: 11h às 19h
- Perfumaria e cosméticos: 11h às 19h
- Veículos, peças e acessórios: 9h às 17h

Shoppings centers, academias de ginástica, boates e salões de festa continuam fechados em Belo Horizonte e ainda não há previsão para a reabertura.