tragédia brumadinho
Minas Gerais Trabalhadores da Vale denunciam buscas por vítimas em Brumadinho

Trabalhadores da Vale denunciam buscas por vítimas em Brumadinho

MPT abriu inquérito para verificar se funcionários da mineradora estão atuando no resgate das 24 pessoas que continuam desaparecidas

Vinte e quatro pessoas continuam desaparecidas em Brumadinho

Vinte e quatro pessoas continuam desaparecidas em Brumadinho

Divulgação / Corpo de Bombeiros

O MPT (Ministério Público do Trabalho) abriu um inquérito para investigar se funcionários da Vale que trabalhavam no local do rompimento da barragem 1 da Mina Córrego do Feijão, estão atuando nas buscas a desaparecidos na tragédia. 

De acordo com a Polícia Civil de Minas Gerais, até o momento já foram identificadas 246 vítimas e outras 24 pessoas continuam desaparecidas. 

De acordo com denúncias de trabalhadores encaminhadas ao órgão, pessoas que sobreviveram ao rompimento da barragem e foram afastadas de suas funções teriam sido convocadas para voltar ao trabalho no local. 

O procurador do Trabalho Geraldo Emediato afirmou que ainda não há confirmação sobre as denúncias, mas que o órgão irá realizar inspeções para verificar as condições dos trabalhadores. 

— Nós fizemos um acordo com a Vale para que os funcionários que alegassem que estão abalados psicologicamente fiquem afastados do trabalho. Eles têm garantia de emprego até o fim do ano. Temos um acordo que impõe multa à Vale se isso for infringido.

De acordo com a Vale, o Corpo de Bombeiros diz que nenhum dos funcionários da empresa auxiliam a corporação nas atividades de busca na área afetada pelo rompimento da barragem. 

"A empresa reitera que os empregados que manifestaram desejo de retornar `a rotina de trabalho foram acolhidos por uma equipe de profissionais especializados nas áreas da saúde e segurança. Apenas retornaram os funcionários que estavam aptos clinicamente. A empresa informa que também disponibiliza psicólogos nos locais para acompanhamento constante", diz a nota.