Novo Coronavírus

Minas Gerais UFMG recruta moradores para testar mais uma vacina contra covid

UFMG recruta moradores para testar mais uma vacina contra covid

Estudo vai avaliar a eficácia do medicamento produzido pela empresa Johnson & Johnson em até 2.000 pessoas; candidatos devem ter 18 anos ou mais

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

População deve precisar apenas de uma dose da vacina

População deve precisar apenas de uma dose da vacina

Siphiwe Sibeko/Reuters - 27.08.2020

A UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) anunciou que vai começar a testar na próxima semana mais uma vacina contra a covid-19 em moradores de Belo Horizonte e região metropolitana.

Desta vez, o medicamento a ser analisado é o desenvolvido pela empresa americana Johnson & Johnson. Diferentemente do que acontece no teste da vacina chinesa Coronavac, também realizado pela UFMG, não serão selecionados apenas profissionais da saúde para pesquisa.

Podem se candidatar pessoas com idade a partir de 18 anos. Inicialmente vão ser abertas vagas para população que não tem problemas de saúde. Segundo a universidade, em um segundo momento, “após constatada a segurança do produto”, os pesquisadores vão selecionar moradores que tenham algum tipo de doença.

Leia também: Vacina de Oxford pode ser aprovada até o final do ano

A expectativa é que até 60 mil pessoas sejam testadas na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México, Peru, África do Sul e nos Estados Unidos. A UFMG deve recrutar 2.000 pessoas para participar dos testes.

A instituição não limitou o teste a determinadas cidades, mas informou que a aplicação do medicamento e o acompanhamento médico serão feitos na Faculdade de Medicina, na região Central de Belo Horizonte. Assim, os interessados devem ter disponibilidade para se descolarem até o local.

A vacina

Esta é a terceira fase de testes da vacina americana. Caso os resultados sejam positivos, o produto já poderá ser registrado junto à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para aplicação do medicamento em toda a população.

“Trata-se de uma vacina muito promissora pela potência imunogênica, de acordo com os resultados dos primeiros testes. Já se sabe que uma única dose é suficiente.”, informou a UFMG em nota.

Os participantes dos testes serão divididos em dois grupos: um que vai receber a vacina e outro que irá receber uma substância sem medicamentos. Nem os integrantes e nem os aplicadores saberão quem de fato será vacinado.

Quando o medicamento for aprovado, as pessoas que receberem as doses sem o produto terão preferência para serem vacinados.

A universidade informou que irá dar mais detalhes sobre a pesquisa em uma entrevista coletiva nesta quarta-feira (7).

Quem tiver interesse de participar dos testes deverá preencher um formulário online e aguardar contato da equipe da Faculdade de Medicina da UFMG. A inscrição pode ser feita neste link.

Últimas