Novo Coronavírus

Minas Gerais UTIs de hospitais privados de BH têm menor ocupação em 76 dias

UTIs de hospitais privados de BH têm menor ocupação em 76 dias

Taxa de ocupação dos leitos de terapia intensiva nos hospitais particulares da capital mineira é de 60,3% nesta sexta (5)

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7

Reprodução / Record TV Minas

Os hospitais da rede particular de Belo Horizonte têm a menor taxa de ocupação de leitos de UTI para pacientes covid-19 desde o fim de novembro. De acordo com boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura nesta sexta-feira (5), 60,3% dos 282 leitos de terapia intensiva da rede suplementar estão ocupados. 

A última vez que a ocupação de leitos de UTI privados atingiram um índice menor que 60% foi na última semana de novembro. De acordo com o boletim, na semana do dia 21, dos 266 leitos existentes à época, 139 estavam ocupados, ou seja, 52,3% do total.

Veja mais: BH cadastra idosos com mais de 89 anos para vacinação contra a covid

Nesta sexta-feira, dois dos três indicadores monitorados pela prefeitura estavam na fase verde. O índice de transmissão por infectado (Rt) está em 0,88, o que indica que a expansão da doença está controlada na capital mineira.  Outro indicador que está sob controle é a taxa de ocupação de leitos de enfermaria, em 48,4%. Já a ocupação de leitos de UTI segue em queda, mas ainda na fase amarela, com 68,4% dos leitos ocupados. 

Queda nos índices

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (5), o secretário municipal de saúde, Jackson Machado, afirmou que a melhoria nos indicadores da pandemia é reflexo do fechamento do comércio não essencial em Belo Horizonte foi fundamental para os níveis atuais. 

Por decisão da prefeitura da capital, os estabelecimentos ficaram impedidos de abrir entre 11 e 31 de janeiro. Nesse intervalo, todos os indicadores melhoraram. 

- Essa queda se deve a essas medidas de restrição. Tem gente falando que o índice caiu e o comercio está aberto. Isso é bobagem porque sabemos que o ciclo do coronavírus é de 5 a 14 dias. 

Últimas