tragédia brumadinho

Minas Gerais Vale indeniza em R$ 100 mil gari que viu rompimento de barragem

Vale indeniza em R$ 100 mil gari que viu rompimento de barragem

Homem trabalhava próximo a pousada que foi destruída pela lama de rejeitos e precisou correr para não ser atingido

Homem trabalhava próximo à Pousada Nova Estância, destruída pela lama de rejeitos

Homem trabalhava próximo à Pousada Nova Estância, destruída pela lama de rejeitos

Pablo Nascimento / R7

Um gari que teve abalos psicológicos após presenciar o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, ganhou, na Justiça, o direito a uma indenização de R$ 100 mil em danos morais. 

A decisão é da juíza da 2ª Vara Cível Criminal e de Execuções Penais da Comarca de Brumadinho, Renata Nascimento Borges. O homem trabalhava próximo à Pousada Nova Estância – destruída pela onda de lama de rejeitos – quando viu um "mar" de rejeitos de minério indo em direção a ele. 

Veja: Vale deve pagar R$ 1,5 milhão a parentes de morto em Brumadinho

Para escapar, o homem teve que buscar abrigo em um local alto e distante, onde teve que esperar um bom tempo até retornar ao município. À Justiça, o trabalhador afirmou que foi diagnosticado, por um profissional, com estresse pós-traumático. 

Defesa

A Vale afirmou à juíza que está tomando as medidas possíveis para minimizar os danos causados pela tragédia, como a distribuição de água para a população, dentre outras medidas. Para a mineradora, o gari não comprovou que ele estava presente na hora do rompimento da barragem e que o fato não poderia ser considerado como "abalo à honra". 

No entanto, de acordo com a juíza, as medidas adotadas pela empresa após o rompimento da barragem não podem excluir a responsabilidade da mineradora. 

Últimas